O meia Celsinho, do Londrina, relatou ter sido vítima de racismo novamente durante uma partida da Série B do Campeonato Brasileiro. Neste sábado (28), ele informou ao quarto árbitro durante o intervalo da partida contra o Brusque, em Santa Catarina, que foi chamado de macaco por um homem que estava em um camarote do estádio Augusto Bauer.

Ao final da partida, em entrevista ao Sportv, Celsinho comentou o assunto. “Eu não sei se ele faz parte da comissão técnica, da diretoria, é um senhor de vermelho que se encontra no camarote. Eu também não entendo porque há tantas pessoas assim (no estádio), num protocolo, numa situação em que ainda não estão liberados os torcedores, nós temos uma quantidade assim (de pessoas)...”, disse o meia.

“É lamentável, ainda mais se tratando de um ato desse, mais uma vez. Então, é inadmissível, e pode ter certeza... uma equipe de porte médio/baixo, recém-promovida a uma Série B de Campeonato Brasileiro, estar cometendo um ato desses, é inadmissível. Mas as providências serão tomadas”, complementou Celsinho.

O jogador foi alvo de comentários racistas de narradores e comentaristas de emissoras de rádio de Goiás e do Pará durante outros jogos do Londrina nesta Série B. Nos dois casos, os profissionais pediram desculpas e foram afastados das emissoras. O Brusque informou que ainda não foi notificado pela arbitragem ou pela CBF sobre o assunto, e por isso não iria se pronunciar.

Participe da conversa!
0