Quantos truques cabem no chapéu mágico de Bruno Guimarães? Há quase quatro meses na Inglaterra, o volante revelado pelo Athletico tem feito jus à alcunha de "mago" vestindo a camisa 39 do Newcastle.

Contratado do francês Lyon em 29 de janeiro por 52 milhões de euros – cerca de R$ 300 milhões na oportunidade –, o volante não sentiu a mudança para a liga mais competitiva do mundo. Muito menos o peso de ser a principal aposta do clube alvinegro, que após ser vendido para um fundo da família real da Arábia Saudita, por R$ 2,2 bilhões, tornou-se o mais rico do planeta.

Individualmente e coletivamente, o impacto do jogador foi imediato, da mesma forma que encantou a torcida com suas atuações e entrega. Virou ídolo num piscar de olhos, exatamente como aconteceu no Furacão.

Mas o objetivo de se tornar uma lenda dos Magpies não tem apenas talento do carioca de 24 anos como alicerce. Pelo contrário. Bruno investiu em conhecimento, prevenção e informação para seguir evoluindo. O início mágico, com gols, assistência, desarmes e elogios de ídolos e da imprensa, é resultado do processo que você conhece abaixo.

Oh, Bruno é mágico pra c..., ele usa um chapéu mágico!

Ele poderia ter assinado com o Arsenal, mas disse não, f... isso!

Ele quer jogar os famosos alvinegros do Eddie e quando vencermos o campeonato...

Vamos cantar essa música a noite toda!

Música da torcida do Newcastle pra Bruno Guimarães em tradução livre
| Divulgação/Newcastle

Investimento no corpo

O preparador físico e fisioterapeuta Marcelo Coutinho, conhecido como Rato, já é de casa. Mal precisa tocar a campainha ao chegar na residência dos Guimarães, em Newcastle, cidade de 300 mil habitantes na região Norte da Inglaterra, mais próxima da Escócia do que de Londres.

É lá que Rato bate ponto diariamente, fazendo manutenção e prevenção. "E não tem hora não, às vezes o jogo acaba tarde da noite e ele tem algum trauma. Aí vamos para a fisioterapia de madrugada mesmo", conta o profissional, que conheceu Bruno por intermédio do atacante Pedro, do Flamengo, amigo de infância do volante.

Quando Bruno se transferiu para a Premier League, Rato foi junto. A parceria começou no início de 2021, quando o jogador já estava há quase um ano no Lyon. A mudança de perfil do campeonato requer ainda mais cuidados.

"Bruno é um atleta de muita resistência física. Na França, ele corria 12,5 km por jogo. Aqui, ele foi quem mais correu em todas as partidas, contando os dois times, comprovado pelo GPS. A média é de 11,6 km por jogo, mas a intensidade é muito maior do que na França", explica o fisioterapeuta.

O protocolo de prevenção consiste em liberação miofascial, eletroterapia, banheiras de crioterapia e de hidromassagem, exercícios funcionais, alongamentos e mobilidade articular, tudo com aprovação do clube. Também há um trabalho de ganho de força muscular na academia, principalmente para os membros superiores e o abdômen.

| DAN MULLAN/Newcastle

Alimentação de elite

Quando Bruno sai em disparada, aos 49 minutos do segundo tempo, para fazer de peixinho o gol da vitória contra o Leicester City – seu segundo na partida de 17 de abril –, não há dúvida no staff do camisa 39.

O lance tem a digital do trabalho feito, desde dezembro do ano passado, com um instituto de nutrologia especializado em alta performance. Uma necessidade detectada pelo próprio jogador.

"Foi ele mesmo que pediu. Falou, 'cara, preciso ficar mais em forma, ter mais performance'. Ele começou a abdicar de muita coisa. Já tinha uma alimentação regrada, mas queria profissionais para cuidar dele", conta o empresário Alexis Malavolta.

"Ele está cuidando muito desse situação de alimentação, percentual de gordura, de sono, de dormir no horário certo, qualidade de sono. Ele começou a fazer tudo muito regrado", garante o agente, que ressalta a importância da passagem pelo futebol francês, um primeiro estágio na Europa, para o momento atual do meio-campista.

"O próprio Bruno fala que se preparou no Lyon para poder estar aqui", diz Malavolta.

Informação é poder

Na véspera de cada duelo, Bruno vive um ritual que o tem ajudado a entrar mais preparado em campo. Em videochamadas de aproximadamente 45 minutos, recebe informações de como pode explorar fraquezas dos adversários e também exemplos práticos para otimizar seu comportamento em campo.

O serviço é prestado pela equipe da Performa Consultoria, que o acompanha desde outubro de 2021. "Pode ser a maneira como ele vai dominar uma bola, como vai abordar um adversário em um duelo um contra um, a maneira como ele perfila o corpo em determinada situação, como defende", exemplifica o analista de desempenho Eduardo Barthem, sócio da empresa.

A análise detalha todos os adversários da partida, mas o foco é setorial na área de atuação de Bruno Guimarães. Como eles marcam, pressionam, comportamentos recorrentes.

Contra o Wolverhampton, por exemplo, o volante conseguiu arrancar um cartão amarelo do português João Moutinho, cuja indicação do pré-jogo mostrava dificuldade no desarme. Já na assistência para o gol de Almirón, diante do Crystal Palace, o lançamento foi nas costas do lateral Schlupp, na última linha de defesa.

"Quanto mais informação o jogador tiver, mais preparado ele vai para a partida e assim tende a ser mais assertivo e tomar melhores decisões", afirma Barthem.

Na ponta da língua

Conceder entrevistas em inglês, mostrando esforço pessoal para aprender o idioma em apenas três meses, é claramente um dos motivos que reforçou a rápida adoração da torcida do Newcastle por Bruno Guimarães.

E da mesma forma que demonstra persistência dentro das quatro linhas, o volante também é um aluno dedicado fora delas. "Ele é diferenciado. Se dá ao máximo na aula, mesmo quando está cansado e sempre está me cobrando coisas a mais", elogia a professora Larissa Alves da Rosa, que também ensinou francês em tempo recorde ao atleta.

As aulas online acontecem de segunda a sexta, sem falta, menos em dia de jogo. Bruno recebe antecipadamente os materiais, faz exercícios, mas o foco principal é a conversação, com ênfase no sotaque britânico.

"Quando há uma entrevista marcada, por exemplo, ele já me fala o que acha que devem perguntar e a gente simula antecipadamente para que ele se sinta mais confiante no dia", fala Larissa, que também trabalhou os termos futebolísticos e a cultura local com o aluno famoso

"Teve uma aula sobre cidades, países, e pedi para ele fazer sobre Newcastle. Teve que fazer uma pesquisa, saber a história da cidade, fazer um texto e apresentar".

Família, torcida e adaptação rápida

Os números do ex-atleticano pelo time de St. James' Park impressionam. São 13 jogos (sete como titular), uma assistência, 28 desarmes, sete interceptações e quatro gols. O último foi no sábado (22), contra o Norwich, fora de casa, roubando a bola e tocando por cobertura (veja abaixo).

Com Bruno Guimarães em campo, os Magpies venceram 69% dos pontos disputados. Desde sua contratação, o time saiu da briga contra o rebaixamento e passou a figurar na parte de cima da tabela. Adaptação surpreendente que o transformou em ídolo instantâneo.

"Ele foi muito bem recebido pelos donos, pelo treinador, pelos colegas. Todo grupo está muito unido e foi muito receptivo. Isso fez com que ele se sentisse acolhido. Logo já tinha bandeira com a cara dele, camisetas, é uma loucura", conta Marcia Guimarães, mãe do jogador.

Marcia e Dick, pai do volante, moram em um apartamento próximo à casa de Bruno, que vive com a namorada Ana Lídia Martins, que está grávida do primeiro filho do casal. A proximidade, junto com toda a equipe multidisciplinar que o acompanha, faz toda a diferença.

"A gente está perto dele o tempo todo. Estar em família ajuda bastante e com certeza ele está muito feliz que vai ser pai. Isso está o inspirando e motivando a melhorar", completa Marcia, que espera ver o filho com a seleção brasileira na Copa do Catar.

| EFE

Depois de ser titular na campanha da medalha de ouro na Olimpíada de Tóquio, Bruno traçou como meta estar no Mundial que começa em novembro.

O investimento em preparação física e mental é o meio para tentar chegar ao fim: a vaga na seleção de Tite. E o lugar parece estar confirmado após o volante distibuir três assistências e marcar um gol nas últimas três partidas com a amarelinha, sendo apenas uma vez como titular.

“Já é visível a modificação do jogo dele, do corpo, o amadurecimento. O Bruno está muito focado porque quer ir à Copa e para ir tem que estar bem preparado, no ápice mesmo”, cita Marcia.

“Então isso que ele está trabalhando, com tudo o que há de mais moderno, é para agregar na carreira. A expectativa é grande e vai ser uma felicidade muito grande para todos nós vê-lo realizar mais um sonho”.

Perfil: conheça a história de Bruno Guimarães no Athletico

Participe da conversa!
0