Goleador do Coritiba na temporada, com 13 gols, o atacante Léo Gamalho também briga pela artilharia do Brasileirão. Com quatro gols marcados, ao lado de Hulk, Elvis e Erison, o camisa 9 coxa-branca só está atrás de Calleri, do São Paulo, que já balançou as redes seis vezes.

Números que colocam o jogador como um dos destaques de 2022. Aos 36 anos, Léo Gamalho disputa apenas seu terceiro Campeonato Brasileiro - os outros foram em 2015, pelo Avaí, e 2017, pela Ponte Preta -.

O fato de jogar a maior parte da carreira na Série B fez levantar algumas discussões se ele daria conta do recado no comando do ataque do Alviverde. E o desempenho até aqui dá um gostinho especial para o atleta.

"Eu não falo em sabor, mas é bom para mim mesmo, eu acabo mostrando as condições que tenho e acaba refletindo na minha equipe. Não posso ficar ligado sobre as coisas que são faladas sobre mim, pois é muita opinião e não o que acontece de fato. Estar lá em cima (na artilharia) é uma alegria", disse ele, em entrevista coletiva.

Desempenho de Léo Gamalho deixa torcedores "gamalhizados" e atacante confiante

Se depender da torcida do Coritiba, a desconfiança seguirá passando longe. Em 59 partidas pelo Alviverde, Léo Gamalho marcou 34 gols, média de 0,57 por jogo. O faro de artilheiro já deixou muitos coxas-brancas "gamalhizados".

Léo Gamalho cobrando pênalti contra o Fluminense
Léo Gamalho é o artilheiro do Coxa no ano, com 13 gols.| Atila Alberti/UmDois Esportes

"Isso só me motiva, me deixa contente o fato de o torcedor estar reconhecendo o meu trabalho. Estamos desde o ano passado passando por bons momentos e aí o torcedor acaba tendo carinho. A torcida vem sendo fantástica e a forma que temos de agradecimento é nos dedicando dentro de campo", acrescentou o jogador, que prefere nao estipular um número de gols para o ano.

"Sou meio largado para essas coisas. Não anoto nada. Eu só procuro fazer o meu melhor dentro de campo. Eu sei que na minha posição preciso fazer gols, procuro estar sempre atento e concentrado para ser eficaz. Mas não fico preso ao retrospecto", completou.

Participe da conversa!
0