Pela primeira vez após a confirmação do acesso à Série A, a diretoria do Coritiba se pronunciou. Em entrevista coletiva, o presidente Juarez Moraes e Silva, ao lado dos vices Glen Stenger, Osíris Klamas, Jair José de Souza, Maurício Gulin e o diretor institucional, Vilson Ribeiro de Andrade, falou sobre as expectativas para o ano que vem.

Nos 40 minutos de entrevista (confira o material na íntegra abaixo), a palavra mais usada por todos foi "planejamento". Em quase todas as respostas o termo foi utilizado justamente para reforçar que o clube já tem as metas traçadas para o ano que vem, dentro e fora de campo.

A partir do momento que o Coxa confirmou sua volta à elite, os dirigentes já passaram a pensar em 2022. O primeiro passo é sobre a permanência do técnico Gustavo Morínigo.

O treinador tem vínculo até o final da próxima temporada e também conta com o respaldo da diretoria, que quer mantê-lo para o ano que vem desde que ele e toda a comissão técnica estejam alinhados ao planejamento alviverde.

"Em 2022 o Coritiba fará a mesma coisa que fez em 2021, seguiremos o nosso planejamento. Ele não é imutável, pode sofrer ajustes e é necessário isso. É preciso deixar claro que o Morínigo é uma pessoa séria, honrada, colocou sua dignidade no clube e temos a intenção de permanecer com ele ano que vem, mas seguimos um planejamento, que será feito em cima de nossas metas e as pessoas terão que se encaixar no clube e não o contrário", afirmou Glen Stenger.

Morínigo, técnico do Coritiba
Morínigo tem a confiança da diretoria.| Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes

"O Gustavo e a comissão técnica foram mantidos após a eliminação do Paranaense por acreditarmos que eles são competentes e por seguirmos nosso planejamento estratégico. A intenção é manter a comissão técnica para 2022, ela estando sempre alinhada ao nosso planejamento", completou o vice-presidente, sem explicar exatamente o que poderia fazer Morínigo a não seguir o planejamento interno.

"Pode acontecer alguma situação de um profissional querer sair e ir para outro clube, mas neste momento temos a intenção de seguir com eles", acrescentou.

Diretoria quer manutenção de jogadores, mas busca por reforços

Ao mesmo tempo que conta com a permanência do treinador, o Coritiba também já começa a pensar na montagem do elenco para a próxima temporada. A tendência é que boa parte do grupo que conquistou o acesso na Série B continue, mas com novas peças que se adaptem à primeira divisão.

"Para cada campeonato você tem que estruturar um equilíbrio. A Série A é um outro objetivo, é um conceito diferente, com um nível técnico bem apurado e intenso. O que temos que fazer é montar um time dentro destas características. Do time que se classificou para a Série A tem grandes jogadores, é qualificado, mas tudo faz parte de um planejamento", explicou Vilson Ribeiro.

"Desde o ínício da gestão tínhamos um planejamento a curto e longo prazo. Tínhamos como objetivo o acesso e a nossa meta era enfrentar uma Série B competitiva com perfis de jogadores bem definidos. Nosso objetivo era um time forte, cascudo, experiente. Agora é um outro planejamento, outro orçamento, outro perfil de disputa e temos que nos adequar a isto. O planejamento vai definir o time, o plano tático e os jogadores. A partir de agora, vamos nos debruçar no planejamento, que já está sendo elaborado", disse Juarez.

Alguns nomes têm contrato somente até o fim da temporada e ainda não abriram negociações com a diretoria. Porém, alguns atletas que se destacaram em 2021, como o zagueiro Luciano Castán e o atacante Waguininho serão procurados para renovarem os vínculos.

Luciano Castán e Waguininho comemoram gol pelo Coritiba
Castán e Waguininho têm contrato até o fim da temporada.| Albari Rosa/Foto Digital/UmDois Esportes

"Seguramos até agora todas as conversas com os jogadores em respeito ao campeonato. Nosso grupo é diferenciado, qualificado e todos que estão no elenco temos a intenção de conversar, os titulares principalmente. O Castán e o Waguininho iremos conversar para saber o planejamento deles. No nosso eles se mostraram muito eficientes e fazem parte de um grupo que está sendo estruturado para a Série A", afirmou Osíris Klamas.

"Nosso objetivo era primeiro conquistar o acesso. Mas sabemos da necessidade de manter o Coritiba na Série A. Temos este orçamento disponível, uma estrutura elaborada e esse equilíbrio com os jogadores que já temos, mais alguns reforços necessários, vamos nos manter na Série A, que é a nosso objetivo", completou o vice-presidente.

Até mesmo os atletas com contratos mais longos devem ser procurados para prorrogar seus vínculos.

Confira toda a entrevista coletiva da diretoria do Coritiba:

Participe da conversa!
0