Apresentado na última quarta-feira (6) como o novo diretor executivo do Coritiba, José Carlos Brunoro explicou como será o planejamento do clube daqui para frente, principalmente para a temporada 2021, que se inicia em menos de dois meses.

De acordo com o dirigente, todo o roteiro a ser seguido internamente já está desenhado, independentemente de o Coxa ser rebaixado para Série B ou se conseguir a permanência na elite do futebol brasileiro.

"É um planejamento estratégico, onde sabemos onde queremos chegar. Lógico que temos uma situação diferente, um calendário diferente por conta da pandemia e a situação do clube na zona de rebaixamento. Então não vamos falar de Série A ou Série B. Temos que ter um espírito vencedor até o último momento", destacou Brunoro, em entrevista coletiva.

A primeira mudança foi na forma de como o departamento de futebol será comandado, com várias "cabeças pensantes", ao invés de todas as decisões serem centralizadas em uma única pessoa.

"Este organograma muda um pouco o comando. Geralmente era muito centralizadora e isso nunca funciona. Tive passagens por clubes-empresas em que as decisões eram tomadas em conjunto. Aqui não terá um diretor de futebol, mas um grupo que vai se integrar. Serão uma área científica, de captação e uma esportiva", acrescentou o diretor.

Reta final do Brasileirão servirá para avaliação do elenco

Entre estas novas funções estão a reestruturação do departamento de futebol e do elenco. Restando ainda mais dez rodadas para o término do Brasileirão 2020, as peças que atualmente estão no clube serão avaliadas para saber quem ficará no Alviverde a partir de 27 de fevereiro, quando se dá início a temporada 2021.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

"O perfil do atleta vai ser determinado por este período que estamos jogando. Temos que analisar competitivade, técnica, amor à camisa… Vamos saber que tipo de jogadores nós queremos. O critério técnico é o primeiro. O Coritiba só vai trazer jogadores que se enquadrem ao estilo de jogo trabalhado", reforçou Brunoro.

"Além disso, temos um orçamento que precisa ser respeitado. E aí temos que extrair a qualidade. A base precisa ser reformulada. Temos bons jogadores aqui na grande Curitiba. O time ideal para mim precisa ter uma mescla de jogadores experientes, médios veteranos e jovens. Então não vamos abrir muito mão disso, até para motivar os jogadores da base", completou.

Novo treinador do Coritiba teve trabalho direto do diretor executivo

Outro ponto importante foi a busca por um novo treinador. Antes mesmo de ser apresentado, José Carlos Brunoro já vinha trabalhando nos bastidores do Coritiba e foi um dos responsáveis pela contratação de Gustavo Morínigo para comandar a equipe daqui em diante.

O paraguaio acompanhou a derrota do Coxa por 2 a 1 para o Goiás e assumirá a função na reta final do Campeonato Brasileiro, já pensando na próxima temporada. A ideia é utilizar este período para avaliar o grupo.

"Um clube que cai troca de treinador pelo menos três ou quatro vezes. Então nós tivemos que trazer um treinador para sair dessa situação e já trabalhar no projeto do clube. Não podíamos esperar acabar o campeonato. O planejamento nosso é sair na frente, com um treinador que passe a dar competitividade ao clube e já saber o que vem pela frente", finalizou o dirigente.

Participe da conversa!
0