Mesmo com menos receita, o Coritiba confirmou nesta sexta-feira (29) seu primeiro superávit em 13 anos. No balanço financeiro anual referente à 2021, o clube registrou saldo positivo de R$ 3.893.934 – o número já havia sido adiantado pelo UmDois Esportes no fim de março.

O resultado aconteceu apesar de uma significativa diminuição da receita operacional líquida em comparação a 2020: de R$ 99,8 milhões, os recursos caíram para R$ 80 milhões em 2021.

Em contrapartida, a diretoria comandada pelo presidente Juarez Moraes e Silva reduziu os gastos do futebol profissional em cerca de 20%: de R$ 63,4 milhões para R$ 51,5 milhões, mas ainda assim conseguiu o acesso à Série A do Brasileirão.

A dívida coxa-branca também sofreu redução no período e passou de R$ 275 milhões para R$ 268 milhões. Já o endividamento tributário, que estava na casa de R$ 199 milhões, sofreu desconto de R$ 34,8 milhões por conta da migração ao Programa Emergencial de Retomada do Setor de Eventos (PERSE). A renegociação trouxe menor cobrança de juros, estratégia de ajustes financeiro que colaborou com o superávit no primeiro ano da gestão.

Histórico

A última vez que o clube havia registrado superávit foi em 2008, quando o caixa fechou positivo em R$ 1 milhão. Desde então, o Alviverde vinha acumulando perdas seguidas. Foram R$ 9 milhões (2009), R$ 13 milhões (2010), R$ 11,9 milhões (2011), R$ 8,1 milhões (2012) e R$ 6,6 milhões (2013).

Em 2014, o clube registrou déficit de R$ 42,8 milhões, montante que por pouco não superou os cinco anos anteriores somados. Depois, o Coritiba passou a diminuir as perdas de maneira escalonada. Foram R$ 15,7 milhões (2015), R$ 11 milhões (2016), R$ 8,7 milhões (2017) e R$ 2,6 milhões (2018).

Essa tendência parou em 2019, quando o Coxa fechou o ano devendo R$ 50,4 milhões, número impactado principalmente pela perda significativa de receita com direitos de televisão por causa do rebaixamento (de R$ 58,9 milhões, em 2018, para apenas R$ 15,3 milhões no ano seguinte).

Em 2020, ano do início da pandemia de Covid-19, já novamente com receitas de Série A, o Coxa conseguiu reduzir o déficit anual para a casa de R$ 22,2 milhões.

Participe da conversa!
0