Coritiba e Athletico se enfrentam neste sábado (9), às 19h, no Couto Pereira, pela 29ª rodada do Brasileirão. Exatamente 119 dias atrás, em 12 de setembro de 2020, o Furacão levou a melhor sobre o Coxa, por 1 a 0, no clássico do primeiro turno da Série A.

Muita coisa mudou após aquele encontro entre os rivais na Arena da Baixada. Relembre sete diferenças abaixo:

Momento oposto

Antes do clássico do primeiro turno, pela 10ª rodada, tanto Athletico como Coritiba viviam a dura realidade de lutar contra o rebaixamento. Eles estavam empatados com oito pontos em nove jogos – o Furacão era o 17º, enquanto o Coxa estava uma posição abaixo.

Hoje, o Rubro-Negro soma 37, na décima colocação, em situação confortável e ainda sonhando com Libertadores. O Alviverde é o lanterna, com 21, e precisa de um milagre para escapar da queda à Série B.

Jorginho não comanda o Coxa desde outubro.
Jorginho não comanda o Coxa desde outubro.| Albari Rosa / Foto DigitaRosa/Gazeta do Povo

Técnicos e mais técnicos

O interino Eduardo Barros comandou o Athletico no primeiro Atletiba do Brasileirão, enquanto Jorginho estava à frente do Coritiba. Mas a passagem dos dois não durou muito.

Barros acabou substituído por Paulo Autuori em 22 outubro – Jorginho foi trocado por Rodrigo Santana no fim do mês, mas também já deixou o cargo. O paraguaio Gustavo Morínigo é quem vai estar no banco de reservas coxa-branca.

Coxa sofreu baixas no elenco.
Coxa sofreu baixas no elenco.| Albari Rosa / Foto DigitaRosa/Gazeta do Povo

Jogadores foram embora do Coxa

Sassá, Giovanni Augusto, Igor Jesus, William Matheus... Dos 16 jogadores utilizados pelo Alviverde no clássico de setembro quatro já deixaram o clube e não disputam o jogo deste sábado. Machucados, os volantes Matheus Galdezani e Matheus Bueno também estão fora.

Athletico perdeu o capitão Wellington.
Athletico perdeu o capitão Wellington.| Albari Rosa / Foto DigitaRosa/Gazeta do Povo

Capitão deu adeus ao Furacão

Capitão do título da Copa do Brasil, em 2019, o volante Wellington deixou o Athletico em fim de contrato e também é outra baixa em relação aos times que entraram em campo na 10ª rodada. Outros nomes que estão fora são o meia-atacante Nikão, suspenso, o lateral Márcio Azevedo e o volante Erick, lesionados.

Follador é o novo presidente do Coritiba.
Follador é o novo presidente do Coritiba.| Divulgação/Coritiba

Novo presidente

O Coritiba tem um novo presidente, Renato Follador, que derrotou o então mandatário Samir Namur nas eleições de 29 de dezembro. Desde então, a nova gestão tomou posse e promete revolucionar o clube.

No Athletico, o presidente Mario Celso Petraglia anunciou que se tornaria CEO, com cargo remunerado. No entanto, ele ainda não deixou oficialmente o cargo de presidente, segundo apurou a reportagem.

Brunoro é o diretor executivo do Coritiba.
Brunoro é o diretor executivo do Coritiba.

Paulo André fora; Brunoro dentro

O ex-zagueiro Paulo André não é diretor de futebol do Athletico desde 26 de outubro. Autuori, que chegou, para ocupar essa função, tem dividido o cargo com a função de treinador. Ao mesmo tempo, o executivo William Thomaz, ex-Santos, foi contratado para ser gerente de futebol.

No Coxa, Paulo Pelaipe, que ficou internado em estado grave lutando contra a Covid-19, também deixou o clube. Para seu lugar, a nova gestão contratou José Carlos Brunoro, agora com a nomenclatura de diretor executivo coxa-branca.

Fabinho fez o primeiro gol da carreira em um clássico.
Fabinho fez o primeiro gol da carreira em um clássico.| Albari Rosa / Foto DigitaRosa/Gazeta do Povo

Onde está Fabinho?

Fabinho foi o herói do jogo na Baixada. O atacante de 21 anos marcou o gol da vitória atleticana em um chutaço e até emendou uma sequência como titular depois disso. No entanto, a partir da chegada Autuori, o prata da casa do São Paulo perdeu espaço.

Dos 12 jogos seguintes, atuou em seis – apenas um como titular, quando o Furacão utilizou um onze reserva diante do Palmeiras. Não balançou a rede mais nenhuma vez.

Participe da conversa!
0