A estrela do futebol japonês Kazuyoshi Miura, o jogador mais velho do mundo, continuará atuando em 2022.

Aos 54 anos de idade, o atacante com passagens por Coritiba, Santos e Palmeiras acertou com o Suzuka Point Getters, da 4ª divisão do Japão. A equipe é treinada por seu irmão mais velho, Yasutoshi Miura.

Apelidado de "Rei Kazu", Miura completará 55 anos em fevereiro, mesmo número do total de gols pela seleção japonesa - foram 55 em 89 partidas.

Apesar da idade, o incansável jogador disse à imprensa local que ainda sente "paixão" ao pisar nos gramados e que seu novo time está quase 100% de acordo com a sua vontade de seguir jogando. "Quero um clube com uma visão clara, capaz de conquistar o acesso", acrescentou.

Kazu em ação pelo Coritiba. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo
Kazu em ação pelo Coritiba. Foto: Arquivo/Gazeta do Povo

Miura já havia melhorado seu recorde como o jogador de futebol mais velho em atividade no mundo no ano passado, atuando pelo Yokohama FC, clube da J-League (primeira divisão do Japão).

Ele teria proposto seguir nesta temporada, mas o veterano havia jogado apenas um minuto e seu time havia terminado em último no campeonato (sem rebaixamento), o que pesou para o fim do vínculo

Kazu Miura chegou ao Brasil com apenas 15 anos

Reconhecido como um dos jogadores mais populares do Japão, Miura deixou o país com apenas 15 anos para tentar a sorte no Brasil. Ele iniciou sua carreira profissional no Santos em 1986, passando no mesmo ano pelo Palmeiras.

Em 1987, se tornou o primeiro asiático a defender um time do nordeste ao ser contratado pelo CRB, onde foi campeão alagoano. Na temporada seguinte, ajudou o Coritiba na conquista do Campeonato Paranaense.

Foto: Arquivo/Gazeta do Povo
Foto: Arquivo/Gazeta do Povo| Gazeta do Povo

Kazu ganhou notoriedade no futebol japonês na década de 1990, atuando com a camisa do Verdy Kawasaki por quase oito anos. O atacante também jogou pelo Genoa, da Itália, Dinamo Zagreb, da Croácia, e FC Sydney, da Austrália, balançando as redes 222 vezes em 853 partidas profissionais.

Verdadeira lenda do Japão, porém, ele não foi convocado para a primeira Copa do Mundo do país, em 1998, na França. Em 2012, aos 45 anos, realizou o feito de vestir a camisa da seleção também nas quadras, quando integrou o time de futsal do país.

Participe da conversa!
0