Uma confusão entre torcidas fora do estádio provocou a paralisação da partida entre Coritiba e Palmeiras, neste domingo (12), no Couto Pereira, pelo Brasileirão.

Para conter uma confusão entre torcidas nas ruas do entorno da praça esportiva, a Polícia Militar precisou utilizar spray de pimenta e o efeito se espalhou, inclusive, para torcedores que estavam dentro do estádio.

Vídeos circulam nas redes sociais com a briga entre as torcidas de Coritiba e Palmeiras.

A briga fora do estádio teria envolvido torcidas organizadas das duas equipes. A torcida do Palmeiras, inclusive, sequer teria entrado no estádio. Além do spray de pimenta, a PM teria utilizado tiros com balas de borracha e apoio da cavalaria. O UmDois tenta contato com a Polícia Militar.

Crianças são transferidas para o fosso do Couto Pereira. Foto: Reprodução/Premiere FC.
Crianças são transferidas para o fosso do Couto Pereira. Foto: Reprodução/Premiere FC.

Por volta dos seis minutos do segundo tempo, o árbitro Leandro Pedro Vuaden precisou parar o duelo porque jogadores e torcedores começaram a reclamar dos efeitos do spray de pimenta.

Atletas do Palmeiras, que estavam no aquecimento, chegaram a passar mal. O goleiro do Coritiba, Rafael William, também sentiu ardência nos olhos.

Para fugir dos efeitos do spray, a torcida começou a transferir as crianças que estavam no local para o fosso que separa a arquibancada do gramado. A partida foi retomada somente seis minutos depois.

O UmDois procurou o delegado Luiz Carlos de Oliveira, responsável pela Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe), que informou que, naquele momento, as situações envolvendo o jogo ainda estavam sendo apuradas.

"Eu senti o gás de pimenta. Na hora que explodiu a bomba todo mundo sentiu um pouco", disse o goleiro Rafael William, do Coxa, após a partida.

Jogadores sentem efeitos do spray de pimenta em campo. Foto: Premiere FC.
Jogadores sentem efeitos do spray de pimenta em campo. Foto: Premiere FC.
Participe da conversa!
0