O Coritiba se mobiliza nos bastidores para tentar anular a suspensão do goleiro Wilson, expulso derrota para o Fortaleza, na última quinta-feira (4), no Castelão. O clube entrou com uma Medida Inominada no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para que o cartão fosse retirado.

O arqueiro, que havia recebido um cartão amarelo do árbitro Anderson Daronco, tomou a segunda advertência após o VAR apontar que ele se adiantou para defender o pênalti cobrado por Wellington Paulista, aos 49 minutos do segundo tempo.

Na súmula, o juiz justificou que o segundo amarelo foi motivado pelo avanço antes da penalidade máxima.

Expulsei aos 49 minutos do 2 tempo em decorrência do segundo cartão amarelo, o goleiro da equipe do Coritiba, o sr. Wilson Rodrigues de Moura Junior, por se adiantar antes da execução de um tiro penal e defende-lo. Informo que o goleiro expulso saiu de campo normalmente.

Anderson Daronco, na súmula da partida

No entanto, a regra do jogo mostra outra interpretação para casos como esse. Na primeira infração, o goleiro deve ser advertido verbalmente – apenas na segunda ocorrência deve ser advertido com cartão amarelo. Sem Wilson, o meia Sarrafiore calçou as luvas e, surpreendentemente, defendeu a nova cobrança.

Internamente, o departamento jurídico coxa-branca estuda a melhor maneira de agir neste cenário. Mas o clube vai tentar reverter a decisão na CBF por considerar que houve erro grave de aplicação da regra. A intenção é poder contar com o camisa 84 na próxima rodada do Brasileirão, sábado (13), contra o Santos, na Vila Belmiro.

Participe da conversa!
0