A diretoria do Coritiba protestou na CBF contra a atuação do árbitro, Luiz Flávio de Oliveira, e da árbitra do VAR, Daiane Caroline Muniz dos Santos, pela condução do clássico contra o Athletico, no último domingo (19), no Couto Pereira, pelo Brasileirão.

Em documento da última segunda-feira (20), assinado pelo presidente Juarez Moraes e Silva, e encaminhado à Comissão de Arbitragem da CBF, o Coxa critica os "erros cometidos na condução do clássico Atletiba".

+ Confira a tabela do Brasileirão da Série A

O Coxa ainda solicita os áudios contendo os diálogos da arbitragem da partida, pede que os árbitros sejam advertidos e que não sejam mais escalados para atuar em partidas do clube nesta temporada.

O Coritiba reclama de um "pênalti claro" não marcado pelo árbitro aos 56 minutos do segundo tempo, do zagueiro Pedro Henrique no atacante Léo Gamalho. "O jogador do Athletico coloca as duas mãos no rosto do atacante coritibano, impedindo a sequência da jogada", diz o ofício coxa-branca.

"Além de não marcar o pênalti, o árbitro principal, de forma precipitada, encerra a partida imediatamente após o lance. A árbitra de vídeo não avisa o árbitro de campo sobre a existência do lance e tampouco recomenda a revisão da jogada", prossegue o texto.

O Coritiba argumenta que os erros cometidos pela arbitragem foram graves e que, portanto, são passíveis de análise e representação perante o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD).

Participe da conversa!
0