Tite aprovou o desempenho da seleção brasileira na goleada de 5 a 1 sobre a Coreia do Sul, em Seul, nesta quinta-feira (2). O treinador ficou especialmente satisfeito com o padrão de jogo da equipe, que foi mantido, na sua avaliação, mesmo após as seis mudanças que promoveu ao longo do amistoso. Como vinha fazendo nos últimos dias, ele destacou a atuação do setor ofensivo, liderado pelos jogadores que chama de "perninhas rápidas".

"(Gostei) Das construções e dos perninhas rápidas lá na frente, os dois externos", afirmou, ao citar o ponta Raphinha e Lucas Paquetá, que atuou na mesma função. "Quanto tu tem dois jogadores na amplitude... mesmo o Paquetá não tendo a mesma velocidade dos outros, mas tem a jogada combinada com o Neymar. Ele pode surpreender lá na frente."

+ Confira a tabela da Copa do Mundo

Na sua avaliação, a seleção manteve o bom nível de jogo também no segundo tempo, quando promoveu as entradas de Fabinho, Bruno Guimarães, Matheus Cunha, Philippe Coutinho, Gabriel Jesus e Vinicius Junior.

"Gostei não só de quem começou entre os 11, mas de quem entrou. Ainda mais com alguns atletas vindo depois e trazer para esse nível de desempenho", comentou, referindo-se aos finalistas da Liga dos Campeões, que se apresentaram à comissão técnica somente na terça-feira (31).

Tite também fez questão de destacar a calma mantida pela equipe após sofrer o empate, no primeiro tempo.

"Gostei de ter tomado o gol de empate e não ver os jogadores se apressando demais e mantendo o nível de atuação. Tomamos o empate e mantivemos o nível de concentração, a bola não queimava no pé, rodamos até encontrar um espaço."

Apesar disso, o treinador lamentou o gol sofrido. "Tivemos um erro de posicionamento. Quando mexeu uma peça, a gente desajustou e eles se infiltraram por dentro. Precisamos de correções e a gente fez no intervalo. Enquanto mecanismo, organismo vivo, ficar trocando muita peça é duro (para a seleção)."

Mas a defesa também ganhou elogios, principalmente o lateral-esquerdo Alex Sandro, que disputa vaga com mais três concorrentes por um lugar na Copa do Mundo do Catar, no fim do ano.

O Alex Sandro teve um grande jogo na vitória contra o Uruguai. Depois sofreu lesões e não conseguiu manter o nível. Ele tem noção e leitura de jogo muito alta e por trás qualidade e força de chegada. Contra o Peru, também sofreu pênalti numa situação de infiltração, ele equilibra bem também os lances defensivos. Ele estando bem fisicamente, voltando a esse nível, consegue fazer um grande jogo, como hoje."

Tite citou a jogada de Alex Sandro, que levou ao primeiro pênalti do jogo e ao segundo gol brasileiro, como exemplo de construção de jogada na seleção. "Devemos ter ficado circulando a bola até encontrar o melhor espaço. Foi um minuto e 40 segundos rodando até o momento da infiltração. O Alex não vem para receber na frente, ele vem detrás para surpreender."

Participe da conversa!
0