Faltando 14 jogos e 42 pontos a disputar no Campeonato Brasileiro da segunda divisão, o Coritiba fecha a 24ª rodada com enorme vantagem em relação ao primeiro rival fora da zona de acesso à Série A. Serão 10 pontos de vantagem sobre o quinto colocado, seja ele qual for.

Sim, o Coxa, nitidamente, adquiriu uma indesejável, mas útil, experiência sobre como jogar a Série B. Essa é a terceira participação do clube na segunda divisão em quatro temporadas.

Mas importante é, além de subir, dar o salto correto para qualificar o elenco e não cair em seguida. E pensar nisso logo será necessário. Trata-se de algo que não foi feito de 2019 para 2020. O time voltou à chamada “elite” com um elenco de segundona.

Quando o rebaixamento era nitidamente inevitável no Campeonato Brasileiro passado, o clube, acertadamente, começou a planejar 2021. O técnico Gustavo Morínigo desembarcou em janeiro (os jogos invadiram o ano por causa da pandemia) no Couto Pereira mirando a temporada seguinte e a confirmação da queda não mudou o objetivo.

Houve momentos de turbulência, como no Estadual, quando o time perdeu três partidas consecutivas para FC Cascavel (em casa), Athletico e Londrina. Pior, quando foi eliminado na primeira fase do Campeonato Paranaense após a derrota para o Rio Branco. Entre esse fatídico jogo e as três derrotas, um empate com o Cianorte. E tudo isso aconteceu depois de um empolgante 5 a 0 no Paraná.

Com o 1 a 0 sobre o Vila Nova (Léo Gamalho, um enorme acerto, marcou) na noite de sexta-feira (17), o Coxa chegou à quinta vitória nos seis últimos compromissos. No período, perdeu apenas para o Botafogo, um dos integrantes do chamado “G-4”, rebaixado junto com o próprio Coritiba no Brasileirão 2020, por sinal. Em suma, a sequência é fortíssima.

Mas o treinador paraguaio já esteve na mira dos dirigentes. Ele certamente seria demitido se não fizesse o time reagir na Série B. De qualquer forma, lhe foi dada a chance de recuperação. Bem aproveitada nesse campeonato, onde Vasco e Cruzeiro sequer se aproximam da zona de classificação para a primeira divisão.

São 48 pontos e 14 vitórias em 24 jogos. Segundos melhores ataque e defesa e maior saldo de gols confirmam a boa campanha na Série B. Aproveitamento de 67%, igual só do Flamengo na A. Sim, o Coritiba está dominando o certame e o acesso parece questão de tempo. É o novo “Malvadão” do futebol brasileiro. O “Coxa Malvadão”.

Participe da conversa!
0