Não eram poucos os que tentavam justificar as más atuações do Palmeiras na temporada passada alegando que o técnico Abel Ferreira não teve tempo para treinar. Virou quase verdade que o time não rendia o esperado por isso, apenas por isso.

Eliminado em casa pelo CRB na Copa do Brasil, teve duas semanas livres antes dos seus últimos dois compromissos pelo campeonato brasileiro. E o campo sepultou de vez essa desculpa tão utilizada por seus defensores incondicionais.

O Palmeiras jogou mal contra o São Paulo após dias livres que o adversário não teve - enfrentou o Vasco pelo mata-mata nacional naquela semana. Só não saiu derrotado do Morumbi por causa das trapalhadas do VAR com o árbitro de campo.

Novamente com sete dias dedicados apenas à recuperação física de seus atletas e a treinamentos, recebeu o Fortaleza no Allianz Parque. E foi derrotado. Enquanto Abel tinha semana livre, o time de Juan Pablo Vojvoda ia até Maceió para eliminar o algoz dos palmeirenses na Copa do Brasil, o CRB.

O jogo deixou clara a superioridade do trabalho desenvolvido pelo argentino sobre o do português. Vojvoda mostrou que seu time e mais bem treinado, o que na prática eliminou a inferioridade técnica óbvia pela diferença de investimento entre os clubes.

Além de ir campo com uma equipe bem estruturada, o Fortaleza mostrou melhor estratégia para vencer, e de virada. Mesmo atuando por 20 minutos com menos um homem devido à injusta expulsão de Felipe.

As mexidas de Vojvoda foram típicas de um técnico que busca a vitória, mesmo com apenas 10 jogadores. Algo que não é inédito, como vimos no triunfo sobre a Chapecoense, por exemplo.

Abel, por sua vez, não soube aproveitar a superioridade numérica e o Palmeiras piorou depois que ele fez substituições. Não parece haver tempo livre que faça dele mais capaz do que o argentino. Ainda mais agora que a velha desculpa não existe mais.

Participe da conversa!
0