O roteiro está pronto. Brasil x Argentina será a final da Copa América neste sábado, no Maracanã. O jogo esperado que valerá pela competição, colocando Messi e Neymar frente a frente.

Mas o espetáculo não será dos mais emocionantes se depender dos treinadores. Tite e Lionel Scaloni mostraram durante todo o certame um conservadorismo tão evidente que gera lamentos.

De fato argentinos e brasileiros não contam com suas melhores gerações de jogadores de futebol. Mas o potencial técnico das duas seleções é muito maior do que o explorado pelos treinadores.

Confira a tabela da Copa América

Contra Equador, Peru, Colômbia, quem fosse, Tite e Scaloni fecharam suas equipes no próprio campo, sempre que adquiriram vantagem no placar. Apesar da inferioridade dos adversários, não mandavam seus times agredirem em busca de mais gols. O negócio era não sofrê-los.

No caso de Scaloni é até mais fácil entender, o que não significa concordar. Ele caiu de pára-quedas no cargo em meio à crise da Associação de Futebol Argentino (AFA) em 2018. E vai se sustentando, mesmo sem grande experiência como técnico.

Tite, ao contrário, alcançou o comando do selecionado nacional quando era quase uma unanimidade como melhor treinador do país. Tem mais vivência na função, respaldo, força para arriscar minimamente e aguentar eventuais dificuldades.

Argentina x Brasil é um duelo esperadíssimo. Mas se em campo imperarem as conservadoras estratégias dos dois, poderá se tornar um jogo decepcionante. Que a dupla nos surpreenda. Pelo bem do futebol. Amém!

Participe da conversa!
0