Na transmissão de Boca Juniors 0 a 0 Santos, quarta-feira à noite, pelo canal Fox Sports, o comentarista de arbitragem Carlos Eugênio Simon entendeu imediatamente como pênalti a disputa de bola entre Izquierdoz e Marinho dentro da área do time argentino. Virou quase unanimidade.

Lance polêmico, a meu ver, normal que muitos considerem falta do zagueiro xeneize, mas chama a atenção a maneira como uma opinião pauta tantas outras. E isso ocorre com muitos comentaristas de arbitragem, como se eles jamais interpretassem mal, diferente de alguém, ou errado.

Simon é um ótimo companheiro de trabalho, percebi nas poucas vezes em que compartilhei com ele transmissões pela TV. Assim como Sálvio Spínola (o melhor de todos), hoje na Globo e com quem trabalhei por alguns anos. Nadine Bastos cresce, com muita personalidade.

Natural que um lance tão discutível seja debatido e irrite quem se sente prejudicado. Normal que o Santos proteste (no futebol funciona assim), pensando em não ser atrapalhado pelo apitador da peleja marcada para a próxima semana, na Vila Belmiro. Mas a jogada foi discutível!

Se foi discutível, discute-se, não? Na gravação do VAR, ouve-se o árbitro de vídeo Eduardo Gamboa dizendo que não houve "nada", um "choque de jogo". O árbitro Robeto Tobar não foi ao monitor rever a disputa, delegou a decisão à equipe de vídeo que o auxiliava.

Deveria ter ido à beira do campo o apitador? Sim, pois talvez desenvolvesse sua própria opinião. Não tive a certeza de Simon quando, após o lance, afirmou que houve o pênalti, pelo contrário. Mas com acesso ao vídeo (abaixo) divulgado pela Conmebol, o pênalti me pareceu real.

Confira a revisão do pênalti pelo VAR:

Repetindo o que o pessoal do VAR fez e o árbitro poderia ter acompanhado, notei a perna de Izquierdoz bloqueando a do santista. Observe no vídeo o impacto aos 36 segundos. Parando e voltando a imagem, (re)formei minha opinião, Tobar poderia ter feito o mesmo, evidentemente.

Talvez a pirotecnia de Marinho, que cai e sai rolando cinematograficamente, tenha induzido a equipe de arbitragem a achar que foi "lance de jogo". Sim, penalidades máximas são lances de jogo. A disputa é polêmica, discutível, mas por que se recusar a ver o vídeo em lance tão complexo?

Furacão "define" companhia do Coxa na Serie B?

O Botafogo finalizou muito mais, mas o Athletico venceu no Rio de Janeiro por 2 a 0, colocando nas redes metade dos seus arremates certos. Nove derrotas do time da estrela solitária nos seus dez últimos jogos, com uma vitória.

E o raro triunfo botafoguense foi justamente sobre o Coritiba, que se afundou na última colocação ao perder para o Goiás, que reage, em casa: 1 a 2. Na temporada 2017, quando caiu, o Coxa tinha 28 pontos na rodada 28, hoje soma 21.

Escapar do rebaixamento é missão quase impossível para o vice-campeão paranaense. E o mesmo vale para os alvinegros do Rio. A terceira vitória atleticana consecutiva pode ter encaminhado nobre companhia ao rival na Série B 2021.

Participe da conversa!
0