Após ter apenas uma vitória nos quatro primeiros jogos do Torneio de Entrada do Worlds 2021 (o mundial de League of Legends), a Red Canids Kalunga disputou uma melhor de 5 contra o time da região da Oceania, PEACE. Apesar da série mais longa, não foi o suficiente para que os brasileiros avançassem para mais uma preliminar antes da fase de grupos. A PEACE venceu por 3 a 2, em uma disputa acirrada em alguns momentos, e distante em outros.

O primeiro confronto, ainda na primeira etapa da competição, também foi de derrota para os brasileiros. Mas uma série de melhor de 5, trás mais elementos para o embate do que o outrora duelo único.

O time brasileiro começou os serviços com uma vitória, muito bem servida pelo Ezreal do atirador Alexandre "TitaN" Lima, que aos poucos foi derretendo os adversários. Mesmo em um jogo confuso dos brasucas, ficando atrás em ouro e em algumas rotações, a diferença foi em algumas team fights que se encaixaram perfeitamente, dando a vitória na primeira partida.

Nas duas partidas seguintes, virada da PEACE no placar. As duas vitórias vieram de maneira tranquila para os australianos. Construíram a vantagem ainda na fase de rotas e aos poucos foram levando isso para o mid e late game, encerrando a partida antes dos 30 minutos.

Para a quarta partida, a equipe brasileira resolveu mudar o jogador do meio, trazendo Adriano "Avenger" Perassoli, que não disputava uma partida desde antes da fase eliminatória do CBLOL. A novidade foi impactante e os adversários não conseguiram responder, fazendo com que a Red empatasse o jogo.

Porém, na última e derradeira partida, Avenger foi focado na fase de banimentos, onde quatro campeões de sua rota foram banidos pelos australianos. Com decisões equivocadas no início do jogo por parte da Red, a vitória da PEACE foi só uma questão de tempo.

O Brasil novamente volta para casa sem avançar para a fase de grupos do Mundial. Novamente retorna com apenas uma vitória desde que a fase de entrada foi implementada, em 2017. Porém, seria errado dizer a clássica frase “jogou como nunca, perdeu como sempre”.

Pois por mais que a segunda metade da frase esteja correta – os números não nos deixam mentir – a diferença que a Red pareceu mostrar não foi tanto dentro de jogo. Provavelmente ressabiados com o barulho das redes sociais após o fraco desempenho da Pain Gaming no Mid-Season Invitational deste ano, a Red pareceu um time mais sério, talvez até mais preparado, do que o que vemos costumeiramente nas disputas pós-CBLOL.

Além disso, o time pareceu tranquilo em diversos momentos dentro do jogo. Mesmo com erros, que não foram poucos (de rotação, de decisão e até de mecânica – quem sabe tema para outro texto), a Red não pareceu afobada ao estar em situação desvantajosa. E isso veio também em contrapartida das redes sociais. Pessoas influentes do cenário, proplayers e comentaristas pareceram entender como foi essa disputa desse Mundial. Houve uma pequena evolução, ainda que tenha sido mais no lado comportamental do que dentro de jogo. Quem sabe o sistema de franquias não tenha colocado uma semente que possa trazer frutos no futuro?

Mesmo com essa boa postura e desempenho ok, ainda é preciso entender que o cenário brasileiro tem muito o que evoluir, e não se trata apenas da parte de jogo em equipe, mas também individualmente.

Participe da conversa!
0