O mês de maio foi protagonizado por uma polêmica surreal no mundo do MMA envolvendo um dos maiores atletas em atividades no esporte. O gaúcho Fabrício Werdum, ex-campeão do UFC, estreou no PFL no último dia 6 contra o goiano Renan Problema e acabou sendo derrotado por nocaute ainda no primeiro round.

Entretanto, a vitória do novato veio após um lance inusitado no octógono. Werdum estava com um triângulo encaixado e, automaticamente, "desistiu" da finalização quando o seu oponente deu os tapinhas tradicionais de quem não aguentou.

O caso é que o árbitro dentro do octógono não viu e Renan Problema teve uma postura até que não corresponde com a de grandes lutadores, partindo pra cima de Werdum e acabando com o combate com um nocaute técnico.

A vitória, naquele momento, foi dada a Renan Problema. É aí que está a questão. Se houvesse o famoso VAR (árbitro de vídeo) no MMA, a justiça estava feita, com o triunfo dado a Fabrício Werdum.

Alguns dias depois, a Comissão Atlética de Nova Jersey anulou o duelo e a luta ficou sem resultado. Apesar disso, a vitória não seguiu com o "Vai, Cavalo", o que mantém a injustiça. Ou seja, já passou da hora do VAR no MMA para dar justiça aos caras que treinam, se desgastam com a perda de peso e fazem o impossível para sair com o braço levantado dentro do octógono.

Participe da conversa!
0