Coritiba e Vasco realizaram uma partida empolgante na noite fria da Vila Capanema e o empate no final frustrou a torcida coxa-branca que já comemorava a virada no placar.

O time carioca jogou melhor no primeiro tempo e abriu a contagem com Tales. Na etapa complementar Pachequinho corrigiu o posicionamento do meio de campo e o ataque aumentou a pressão sobre a defesa do Vasco. Deu resultado, pois o Coxa amassou o adversário na sua grande área e Kleber marcou duas vezes de cabeça.

O triunfo faria justiça ao esforço dos jogadores alviverdes que, entretanto, se descuidaram em lance de bola cruzada que sobrou para Wagner igualar a contagem com um cabeceio sem chance para o goleiro Wilson.

Foi um jogão na Vila.

Inoperância do Atlético é castigada

Diego Souza marca gol de pênalti  Foto: FABIANO MESQUITA/ESTADÃO CONTEÚDO

 

Depois da péssima apresentação pela Copa do Brasil, em Porto Alegre, o Atlético foi amplamente dominado pelo Sport, no Recife e a inoperância do time foi castigada através de um grave equívoco da arbitragem.

Sem qualquer sentido de organização do meio para frente o time de Eduardo Baptista finalizou apenas uma vez durante o jogo inteiro, por intermédio do intrépido Douglas Coutinho.

O Furacão vinha se agarrando no empate sem gols até que Sua Senhoria entrou em ação. Foi o seguinte: o zagueiro Wanderson cabeceou dentro da grande área e a bola rolou sobre a sua coxa esquerda, mas o assoprador de apito enxergou toque de mão e marcou pênalti. Como os cartolas da CBF só assistem pela tv jogos de Flamengo e Corinthians não houve aquela interferência externa e a penalidade inexistente foi confirmada. Diego Souza cobrou e marcou o gol da vitória.

Em seguida o árbitro míope não viu Grafite carregar a bola com o braço a sua frente, o mesmo Grafite que não tem conseguido acertar passe nem em arremesso manual.

 

 A subida paranista

Renatinho marca gol de pênalti. Foto de Jonathan Campos/Gazeta do Povo

O Campeonato Brasileiro deste ano, nas suas duas principais divisões, mostra semelhança pelo rigoroso equilíbrio técnico entre a maioria das equipes.

Vejam a campanha do Paraná que se encontrava no meio da tabela antes da partida com o Ceará e mantinha pequena distancia tanto do grupo de acesso quanto do temível pelotão de decesso.

Como conseguiu vencer o jogo na Vila Capanema foi expressiva a subida paranista na classificação.

Mas o time não jogou bem, encontrou dificuldades tanto que o goleiro Richard foi o principal destaque e venceu graças a uma penalidade máxima bem cobrada por Renatinho.

O resultado serviu para aliviar a pressão sobre o técnico Cristian de Souza e seus comandados.

Participe da conversa!
0