Creio que muitos podem não concordar comigo, mas acho que a Copa Libertadores da América perdeu parte de seu inegável charme, depois de ter sofrido um processo de inchaço no número de participantes.

Parece claro que o número de clubes, desde a fase pré-classificatória, é muita coisa para uma competição que foi criada nos moldes da Copa dos Campeões da Europa com o nome de Copa Campeones de América, posto que só os campeões nacionais dos países sul-americanos podiam disputá-la.

Leia também:

Mas se não fosse o inchaço, com notório fundo político para fortalecer os cartolas que dirigem a Conmebol, o representante do futebol paranaense com maior regularidade nas últimas décadas – o Clube Athletico Paranaense – talvez não conseguisse tanta freqüência no principal torneio continental.

TABELA LIBERTADORES 2019

Não tem sido fácil para o Brasil, com tantos jogadores exportados a cada temporada para o exterior, manter-se entre os favoritos a conquista do título da Libertadores.

Mas, pelo andar da carruagem, neste ano talvez possamos até mesmo reprisar uma final brasileira diante do futebol que está sendo jogado.

Há algum tempo não víamos tantas equipes bem formadas como as atuais que fazem parte do bloco brasileiro no confronto com os adversários sul-americanos.

Entre elencos bem formados e ricos em valores, o mais modesto é o do Furacão. Com a agravante da perda de Thiago Heleno e Camacho, por doping involuntário, numa absurda suspensão sem fim do tribunal esportivo da Conmebol; e da ausência do excelente ala esquerda Renan Lodi, que se transferiu para o Atlético de Madrid.

Nem falo da despedida de Paulo André, porque ele estava na reserva e quando voltou a jogar como titular na ausência de Thiago Heleno revelou irregularidade técnica e falta de recuperação.

Baseado na força das revelações do CT do Caju e, dentre todas as novas contratações, tendo apenas o avante Marco Rubem com aprovação completa, o técnico Tiago Nunes vem operando prodígios no comando do time.

Com um calendário recheado, o treinador e o grupo de jogadores vêm tentando se superar a cada semana. Mas não tem sido fácil.

Antes, pelo contrário, a perda da Recopa com goleada do River Plate, em Buenos Aires e a derrota para o Boca Juniors, na Arena da Baixada demonstram a realidade.

Mas ainda há tempo de recuperação plena na Copa Libertadores da América.

Basta que os jogadores consigam manter o equilíbrio emocional, como procederam na eliminação do Flamengo, em pleno Maracanã, pela Copa do Brasil.

Ou, por outra: que consigam jogar na Bombonera como fizeram na partida válida pela fase de grupos. E que evitem o gol nos acréscimos, claro.

Como será tudo ou nada, não custa apostar mais uma vez nesse time aguerrido e talentoso que tem enchido a sua torcida de orgulho e alegria.

Chegou a hora de o Athletico ser El Paranaense.

OUÇA O CARNEIRO!

Carneiro Neto comenta a derrota do Athletico para o Boca Juniors, por 1 a 0, na Arena da Baixada, pelas oitavas de final da Libertadores da América.

"O resultado foi até surpreendente, apesar do gabarito do adversário, porque o Furacão vinha se comportando muito bem dentro do seu estádio, com o calor e a fidelidade de seu torcedor".

Ouça o comentário!

Próximos jogos do Athletico:

  • Cruzeiro x Athletico – 27/7 – 19h – Brasileirão
  • Boca Juniors x Athletico - 31/7 - 21h30 - Libertadores
  • Shonan Bellmare x Athletico - 7/8 - 7h - Copa Suruga
  • Botafogo x Athletico - 11/8 - 16h - Brasileirão
Participe da conversa!
0