A repórter Fabiola Andrade, da Rede Globo e SporTV, negou ter sofrido assédio de um colega (caboman) durante o jogo entre Corinthians x Vasco, sábado (17/11), na Arena Corinthians.

Em sua conta no Instagram, a jornalista foi enfática, após polêmica nas redes sociais.

“A respeito do vídeo que está circulando nas redes sociais desde ontem eu queria dizer que vi outros ângulos do mesmo momento do jogo e conversei com o meu colega que trabalha comigo há cinco anos. Ele me procurou várias vezes hoje. Pra mim não aconteceu assédio ou abuso”, destacou.

Ele estava manuseando o cabo de áudio que fica preso à minha roupa durante a transmissão, situação comum em dias de jogos“, seguiu. “Agradeço todas as manifestações de apoio e solidariedade, seja de amigos, seguidores, telespectadores, clubes e movimentos que lutam pelo respeito e pela igualdade de gênero. O episódio serviu para mostrar, mais uma vez, que essa luta se fortalece cada vez mais.

O Corinthians, através da sua conta no Twitter, chegou a se solidarizar com Fabiola Andrade. “O Sport Club Corinthians Paulista se solidariza com a repórter Fabíola Faria Andrade, vítima de assédio por um colega de imprensa durante a confusão no jogo de sábado. O episódio lamentável é prova irrefutável da importância das várias iniciativas do clube”, postou o Corinthians.

A cena gravada por um torcedor no estádio no momento da confusão, rapidamente ganhou força nas redes sociais. As imagens flagraram um momento suspeito.

 

 

 

Visualizar esta foto no Instagram.

 

A respeito do vídeo que está circulando nas redes sociais desde ontem eu queria dizer que vi outros ângulos do mesmo momento do jogo e conversei com o meu colega que trabalha comigo há cinco anos. Ele me procurou várias vezes hoje. Pra mim não aconteceu assédio ou abuso. Ele estava manuseando o cabo de áudio que fica preso à minha roupa durante a transmissão, situação comum em dias de jogos. Agradeço todas as manifestações de apoio e solidariedade, seja de amigos, seguidores, telespectadores, clubes e movimentos que lutam pelo respeito e pela igualdade de gênero. O episódio serviu para mostrar, mais uma vez, que essa luta se fortalece cada vez mais.

Uma publicação compartilhada por Fabiola Andrade (@fabiolafariaandrade) em

Participe da conversa!
0