Na Estradinha, em Paranaguá, Coritiba 1 x 1 Cianorte.

Não é justo analisar o jogo diante das circunstâncias: a água da chuva fez uma festa com a areia do campo da Estradinha. O que já era ruim, tornou-se caótico, impossível de se jogar.

No entanto, isso não torna menos preocupante a conduta do Coxa. Não tanto no Estadual, mas no futuro que chega em duas semanas, que é a de jogar a Segundona.

Com todos os descontos que a Estradinha deu ao time de Morinigo para justificar o empate com um gol de pênalti, não se pode ignorar que, há quatro rodadas, o time não ganha em um torneio de nível baixíssimo.

Não se pode atribuir ao tempo, a insegurança e, às vezes, até à falta de uma ordem de jogo. A questão cria um problema grave se os dirigentes absorvem como verdades definitivas os argumentos de Brunoro.

Só depender de Rafinha e dos pênaltis bem cobrados por Gamalho é muito pouco. E há mais um detalhe: Wilson continua fazendo grandes defesas. Mas, continua, também, sofrendo gols.

Participe da conversa!
0