Foto de perfil de Augusto Mafuz

Augusto Mafuz

Ver mais
Opnião

Autuori corrigiu no Athletico a “reforma” pretendida por Petraglia e Paulo André

Athletico mudou de rumo na temporada após a chegada de Autuori
Athletico mudou de rumo na temporada após a chegada de Autuori| Foto: Albari Rosa/Foto Digital/UmDois
  • PorAugusto Mafuz
  • 18/02/2021 15:25

Na Arena do Grêmio, contra o Grêmio, o Athletico joga por uma vaga na Libertadores. Para quem foi vice-lanterna, mudou três vezes de treinador, errou em todas as contratações e já conseguiu a vaga na Sul-Americana, um lugar na Libertadores estará na planilha de um lucro improvável.

Há perguntas que Paulo Autuori desvia a resposta com um sorriso, próprio de quem tem uma ética irrepreensível. Poucos perceberam um fato que está ocorrendo e que foi responsável para afastar o Furacão do estágio temerário de vice-lanterna.

Esse Athletico que, ainda, pode ganhar uma vaga para a Libertadores, não tem nada a ver com a reforma que Petraglia pretendeu, e mandou Paulo André executar ao custo de R$40 milhões.

Dos jogadores contratados pelos “reformadores”, Marquinhos Gabriel, Geuvânio e Ravanelli já foram embora. Fabinho e Jorginho, apenas treinam. Aguilar (R$10 milhões) é reserva do reserva Zé Ivaldo. Alvarado é uma opção remota. Richard só joga porque Erick está lesionado. Só restou Carlos Eduardo que, ainda, está sob desconfiança em razão da sua conduta variada.

Autuori devolveu o prestígio aos remanescentes do Athletico

Autuori comandou Paulo André no Athletico. Na sequência, ex-zagueiro virou diretor. Foto: Albari Rosa/Arquivo/Gazeta do Povo
Autuori comandou Paulo André no Athletico. Na sequência, ex-zagueiro virou diretor. Foto: Albari Rosa/Arquivo/Gazeta do Povo

Em silêncio, Autuori foi devolvendo o prestigio a Santos, Jonathan, Tiago Heleno, Cittadini e Nikão, que haviam sido constrangidos à submissão financeira face aos jogadores que vieram para a “reforma”.

No futebol brasileiro, ninguém melhor do que Autuori, para conhecer conhece a alma do jogador. Era natural que Santos, Jonathan, Tiago Heleno e Cittadini, que participaram com ações decisivas nas conquistas da Sul-Americana e da Copa do Brasil, tenham ficado ofendidos pelo desequilíbrio de tratamento.  

Bem resumido, Autuori, sem exigir do Furacão um gasto de um único centavo, fez a reforma da reforma. Esse é o fato mais relevante que explica o Furacão que, estava na vice-lanterna, está na Sul-Americana e luta pela Libertadores.

Mário Celso Petraglia trabalha como executivo pelo Athletico 24 horas por dia, há 25 anos. Ficou mais rico, é verdade. Mas fez bem para o povo. É tempo suficiente para ter aprendido que futebol é para quem sabe, como Autuori, e não para quem sabe ganhar dinheiro como ele. Se aprendeu com as lições de 2020, já terá valido à pena os erros.

Participe da conversa!
0

    Comentários [ 0 ]

    O conteúdo do comentário é de responsabilidade do autor da mensagem. Consulte a nossa página de Dúvidas Frequentes e Política de Privacidade.