Assim como ocorreu em maio de 2017, quando o Atlético-PR não encaminhou os melhores momentos da derrota para o Coritiba por 3 a 0, o Rubro-Negro paranaense repetiu a estratégia neste fim de semana, privando os torcedores de ver no Fantástico, da Rede Globo, os gols do 5 a 0 contra o Maringá.

O fato – veto às emissoras para prestar serviço jornalístico – foi lamentado pelo apresentador Tadeu Schmidt durante a revista dominical da emissora.

“A TV Globo e a RPC, afilhiada da Globo no Paraná, não têm o direito de transmissão da semifinal do segundo turno Campeonato Paranaense entre Atlético e Maringá. E o Atlético não permitiu que as emissoras de TV gravassem imagens do jogo. Mesmo assim, nós solicitamos as imagens dos gols da vitória do Atlético-PR sobre o Maringá por 5 a 0, mas até agora não a recebemos”, disse, ao vivo, Schmidt.

Ao contrário do ocorrido no ano passado, no entanto, a diretoria do Furacão repassou os melhores momentos às emissoras a tempo de passar as imagens nos programas jornalísticos desta segunda-feira de manhã, tanto na Globo quanto nos canais fechados por assinatura.

Embora canal algum tenha comprado os direitos da transmissão, a legislação brasileira (Lei Pelé – 9.615/1998) garante o registro como flagrante jornalístico, com uso de um trecho (3%) para exibição em telejornais – garantia do direito constitucional à informação para a sociedade, mesmo em evento privado. Mas o Atlético, contrariando essa prática, optou por fazer o trabalho de filtro com os melhores momentos.

No entendimento do Furacão, algo que embasou a decisão de vetar a presençã de câmeras no jogo com o Maringá, os highlights (melhores momentos) são uma propriedade premium e os que os interessados devem pagar – tese que confronta com a norma do flagrante jornalístico e evita edições distorcidas, sem critério de isenção.

Veja os melhores momentos enviados à RPC pelo Atlético-PR

Participe da conversa!
0