Fim de papo na primeira parte da quarta rodada do Paranaense e temos um dado impressionante. Sete equipes estão empatadas com quatro pontos, número expressivo mesmo para um torneio que acaba de começar.

Do sétimo colocado Londrina ao 13º Rio Branco, todos têm a mesma pontuação. Hoje pelo menos um time, Paraná ou Engenheiro Beltrão (ou os dois), deixa essa marca.

Henry Milléo/ Gazeta do Povo
Leandro cabeceia para marcar o primeiro gol do Iraty sobre o Cascavel.

Vamos às informações e impressões pós-jogo. Depois da última partida, Londrina x Rio Branco, vocês podem ver o que o blog escreveu antes de a bola rolar e ver se o que eu escrevi estava furado ou não.

A bola rolou primeiro no Emílio Gomes, para Iraty 3 x 2 Cascavel. Foi a primeira vitória do Azulão, que passou a lanterna para a Serpente. Negócio ruim para o Cascavel não só pela derrota, mas também por ela preceder um duro jogo com o Atlético, no Olímpico Regional.

Destaque para o primeiro gol neste campeonato de Leandro, que abriu o placar em Irati. O camisa 9 do Azulão foi artilheiro do Estadual pelo próprio clube, em 2006, com 18 gols.

Ainda à tarde, o Cianorte venceu mais uma fora: 2 a 0 sobre o Nacional, em Rolândia. Muitos sites deram dois gols de Elton. Nei César, técnico do Cianorte, me disse que o segundo gol foi do Valdir.

O que fica mesmo é a campanha do Cianorte. Sete pontos ganhos em nove possíveis. Um aproveitamento melhor até que o do líder Atlético. E o mais impressionante é que o Leão do Vale do Ivaí venceu as duas que disputou fora de casa.

Pedro Serápio/ Gazeta do Povo
O tempo esquentou após a marcação do pênalti para o Atlético: corajoso o jogador do Jotinha que deu de dedo no Valencia, hein.

Já à noitinha, o Atlético bateu o J. Malucelli por 3 a 1, na Arena. Mais um bom jogo do Jotinha, bem armado na defesa e perigoso no ataque. Poderia ter matado o jogo no primeiro tempo.

No segundo, duas falhas da defesa do Jotinha mudaram o jogo. Na primeira, um corte mal feito deixou a bola no jeito para o voleio de Lima. No segundo, o zagueiro Leandro perdeu a bola para Rafael Moura e depois derrubou o He-Man na área.

Destaques ainda para o golaço de Marcinho (aliás, o Atlético fez quatro golaços na Arena neste ano) e para o lateral-direito Simon, apontado pelo colega Carlos Vicelli como um dos grandes nomes do Jotinha e do jogo.

Em União da Vitória, o Foz perdeu a liderança com a derrota de virada para o Iguaçu, por 2 a 1. Comprova o que já escrevi sobre o potencial desse time do Iguaçu, e lança a suspeita de que o Foz só manda no Oeste.

Fechando a quarta-feira, um sofrível Londrina x Rio Branco. Pelo que eu acompanhei, o 0 a 0 foi justo para uma partida que deixou bem claro as dificuldades que os dois times terão para se classificar. Nos dois casos, a esperança de melhora com a vinda dos reforços. No Tubarão, o primeiro é o volante Alberoni. No Leão, o atacante Ratinho.

Roberto Custódio/ Jornal de Londrina
Em meio a incontáveis problemas, pelo menos Mauro Madureira ganhou o retorno de três titulares para enfrentar o Rio Branco.

Iraty x Cascavel

Christian Rizzi/ Gazeta do Povo

Quando o campeonato começou, escrevi que o Iraty havia apresentado contra o Coritiba futebol suficiente para surpreender no Estadual. Aí o time levou duas lambadas seguidas, é o lanterna.

Faltam alguns jogadores importantes, como os meias Ceará, Ricardinho (voltando de contusão) e André (que se apresentou 8 quilos acima do peso). Para hoje, Paulo Campos faz uma aposta dupla: na psicologia e na formação tática. Ele teve uma longa conversa com os jogadores após a derrota em Foz e promoveu a troca do zagueiro Édson Borges pelo meia Murilo. Assim, sai do 3-5-2 para o 4-4-2.

No Cascavel, o técnico Rudinei Lucas levou uma dúvida para Irati, o ala-esquerda Vavá, que se machucou contra o Paraná. Se for liberado, Vavá atuará no meio, com Wágner reaparecendo na ala e Irineu indo para o ataque no lugar de Léo Baiano. Caso contrário, Wágner faz a ala, Irineu fica no meio e Léo permanece na frente. O Cascavel precisa somar pontos em Irati. Afinal, sábado receberá o Atlético.

Nacional x Cianorte
Os dois times somam quatro pontos, com a diferença que o Cianorte só jogou duas vezes. A folga no fim de semana deu a Nei César uma semana inteira para entrosar o Cianorte. Hoje ainda não joga o atacante Marcelo, contratado no começo da semana. “É um centroavante de área, algo que não tínhamos”, disse Nei, que já trabalhou com Marcelo no União Rondonópolis.

No Nacional, Gilberto Pereira foi dormir sem saber se contará com o meia Márcio e o atacante Jéfferson, que deixaram o treino de ontem com dores musculares. Bruno Flores e Paulinho, respectivamente, são os eventuais substitutos. Por outro lado, Robert, que havia sido expulso contra o Aereb, volta ao time.

Atlético x J. Malucelli

Valterci Santos/ Gazeta do Povo
Aparece pro jogo, Alberto!

Mais do que nunca Geninho precisará do bom desempenho dos alas Alberto e Netinho para vencer o jogo. O Jotinha marca muito bem, com duas linhas de quatro jogadores – fez isso no segundo tempo com o Paraná – e tem rápida saída para o contra-ataque. Se não conseguir atacar pelos lados, o Atlético terá sérios problemas para penetrar o Jotinha pelo meio. A não ser, claro, que arrume faltas para Netinho cobrar direto ou colocar na cabeça de Rafael Moura ou de um dos zagueiros.

No Jota, Ronaldo, expulso contra o Iguaçu, sai para a entrada de Jucilei. O Jotinha teve dificuldade para furar a retranca do time de União da Vitória, problema que não terá hoje, pois o Atlético certamente irá para o ataque. Leandro Niehues, que já foi técnico das categorias de base do Atlético (trabalhou com Chico e Rhodolfo), promete colocar o time para jogar.

O Jota jamais venceu o Atlético.

Iguaçu x Foz do Iguaçu
O Iguaçu fez dois bons jogos, contra Coritiba e J. Malucelli, mas só conquistou um ponto. Em casa, contra um time do seu porte, precisa ganhar para não ficar para trás. Ao time bem armado por Luciano Gusso que quase empatou com o Coxa juntam-se o atacante Ruy e o volante Jean, recém-contratados.

No Foz, vice-líder, a expectativa é pela soma dos primeiros pontos como visitante, até para chegar com gordura ao jogo com o Coritiba, no fim de semana. Será o mesmo time da vitória sobre o Iraty, com destaque para Marcelinho, o homem do gol olímpico.

Londrina x Rio Branco
Fechando a agenda do dia, tem Londrina e Rio Branco. Os dois times de fora de Curitiba com maior torcida no estado passam por um momento delicado.

O Tubarão soma apenas três pontos e teve de contornar até desentendimento entre jogadores em um treino do início da semana. Boa notícia para Mauro Madureira, voltam o lateral-direito Cassiano, o meia Marcos Cruz e o zagueiro Borges.

No Leão, que também tem três pontos, dois desfalques. O zagueiro Edimar, expulso contra o Toledo, e o meia Max, machucado. Max é o principal jogador do time, fez dois gols contra o Iraty. Alisson será o seu substituto.

Participe da conversa!
0