Valterci Santos/Gazeta do Povo
Marcinho (à esq.) entrou no segundo tempo para concluir a vitória aberta por Paulo Baier na etapa inicial

Amigos blogueiros, aviso que nesta semana falaremos muito de Atletiba aqui nesse espaço. Não só dele, claro. Agora que minha rotina voltará à sua anormalidade habitual (não dá anormalidade insana de sempre), falarei mais de várias coisas. Paraná supermando e outros temas que ficaram meio perdidas.

Mas o grande tem é o Atletiba de domingo, no Couto Pereira. E muito do clima deste clássico foi desenhado pelos jogos de hoje à tarde.

O Atlético ganhou mais uma. Mandou o rebaixamento às favas e mostrou mais uma vez que é o time mais acertado do futebol paranaense no momento.

Lopes montou um time maravilhosamente previsível. Você sabe como o Atlético vai marcar, sabe como vai chegar ao ataque, sabe que a bola parada de Paulo Baier é um perigo, mas ainda assim as coisas acontecem, porque são bem ensaiadas e bem executadas. Hoje, bastou um minuto de acerto para matar o Santo André, que voltará de mala e cuia ao seu devido lugar, a Segundona.

Estou curioso como o Atlético se comportará sem esse peso de lutar contra o rebaixamento, que o castiga desde a primeira rodada. Falta ainda uma migalhazinha para fechar a conta matematicamente, mas nada que vá atrapalhar a preparação do Atletiba.

Do lado verde e branco do clássico, porém, a pressão será grande. Pouco por parte da tabela. A zona de rebaixamento segue a cinco pontos de distância, graças à ruindade da concorrência, mais acentuada que a manifestada pelo ataque do Coritiba, hoje, em Porto Alegre.

Impressionante que em outubro o Coxa ainda esteja chorando a saída de Keirrison. Ariel, Hugo, Róger, Marcos Aurélio… Mesmo quem em algum momento deu certo se mostrou, na verdade, pouco confiável por mais tempo. Marcelinho fez muitos gols, é o artilheiro do time, mas agora sim dá para dizer com segurança: tem jogado muito mal desde que renovou o contrato. Rômulo pode ser a solução? Pode, mas precisa jogar.

A outra fragilidade está na defesa. O melhor reforço para o Atletiba é a suspensão de Pereira. Ele é Jéci são um perigo. Cleiton é o melhor zagueiro do Coritiba no ano. Dirceu? Démerson? Roleta-russa. Pode dar certo, como pode dar muito errado.

A pressão sobre o Coritiba será forte. O retrospecto em Atletiba é uma das poucas coisas que se salvam no ano do Centenário. Não perdeu, quebrou o tabu na Arena, evitou que o rival fosse campeão em cima de si. Manter isso com vitória é o mínimo que a torcida espera. Uma derrota pode ter consequências terríveis no Alto da Glória.

Rivais, não inimigos

O título acima é o título de boxes que vão marcar presença no nosso caderno de Esportes ao longo da semana. A cada dia, um coxa e um atleticano com algum laço afetivo (irmãos, pai e filho, marido e mulher, amigos, colegas de trabalho etc) vão falar sobre como curtir a rivalidade do clássico sem violência. Um esforço pequeno, mas honesto de nossa parte para que tenhamos um clássico sem brigas.

Se você também quiser participar, mande fotos, depoimentos ou vídeos que se enquadrem nesse espírito. Enviem neste e-mail aqui. A ideia é montar uma galeria bem bacana e postar aqui no site até o fim da semana.

Camisas

Por falta de explicação da minha parte, não ficou clara a história da camisa da Católica. Quem quiser participar, é só deixar os comentários neste post aqui. Para que ninguém faça control C, control V, não vou liberar os comentários com respostas até 23h59 desta segunda-feira, quando fecha a participação.

Por enquanto, tenho aqui as respostas de Daniel Batistella Santos, Claasen, schneider, João Gabriel Silva, Santiago e Eduardo.

Participe da conversa!
0