A repórter da Rádio Guaíba, Laura Gross, relatou ter sofrido assédio antes do empate por 2 a 2 entre Internacional e River Plate, na noite de quarta-feira (3), pela terceira rodada da Libertadores. Por meio do seu twitter, a jornalista contou que quase foi beijada à força por um torcedor do time gaúcho. A informação foi divulgada pelo site GloboEsporte.com

Laura trabalhava próxima ao portão de entrada da imprensa, por volta das 18h20, quando um torcedor se aproximou dizendo que queria ser entrevistado por ela.

“Ele estava acompanhado de outro “amigo”. Eu senti que estavam bêbados, dava muito bem para perceber. Começaram me dizendo que queriam dar entrevista pq eu era uma repórter MUITO LINDA. “Não podemos ir embora sem aproveitar, né?”, escreveu Laura em sua rede social.

“Tentei de início, ouvi-los e não ser arrogante nem demonstrar medo. Mas depois que um deles veio em minha direção, segurou minha cabeça e tentou me dar um beijo a força eu percebi que perdemos. Perdemos como seres humanos, humanidade, como sociedade.”, completou.

>> TABELA: veja os grupos e todos os jogos da Libertadores 2019
>> TABELA: veja os resultados e o chaveamento completo da Copa do Brasil 2019

Depois da primeira tentativa, a repórter pediu para ele se afastasse, mas ele seguiu com o assédio e tentou beijá-la novamente. Laura não é a primeira jornalista (infelizmente) a estar neste tipo de situação.

Relembre: Repórter é beijada ao vivo e dispara contra assédio: “Mereço ser respeitada”

Após o relato, o presidente do Internacional, Marcelo Medeiros, também via Twitter, lamentou o ocorrido e confirmou que o clube já identificou o suspeito. “A denuncia será encaminhada à ouvidora para abertura de processo disciplinar, podendo resultar na exclusão do quadro social. Mais uma vez o SCInternacional manifesta seu repudio a toda forma de agressão.”, disse.

 

 

Participe da conversa!
0