Casagrande, comentarista da Rede Globo, se envolveu em uma polêmica com o atacante Neymar, da seleção brasileira e do PSG. Nesta quinta-feira (15), o ex-jogador avaliou o desempenho do astro no programa Redação SporTV. E o chamou de mimado, a ponto de um dia se tornar um monstro.

Me incomoda a maioria dos torcedores brasileiros e da imprensa ficarem passando a mão [na cabeça] do Neymar. Ele já demonstrou diversas vezes comportamentos fora do coletivo, mimado, colocando até em risco a equipe. Ontem [quarta-feira, na derrota para o Real Madrid], ele levou um amarelo no primeiro tempo. Se ele faz mais uma falta ou cava uma, o juiz coloca ele para fora. O que seria desastroso. Isso pode acontecer em uma Copa do Mundo (…) Estamos criando um monstro, ao invés de corrigir o monstro para ele virar gênio. Não estamos colaborando com o Neymar

Neymar pai contra-atacou Casagrande com ofensas no Instagram. Ele chamou Casagrande de “abutre” e “oportunista”. Também fez uma lamentável menção aos problemas pessoais do comentarista.

“Por vezes se aproveitam de um microfone forte, de uma carreira de ‘jogador’ (não dá para chamarmos de ‘atleta’ alguém com comportamentos no mínimo questionáveis fora dos gramados) sem muito brilho, sempre a sombra de outros mais talentosos, para destilar suas frustrações”, escreveu.

Veja na íntegra.

Em uma “guerra” há os que se alimentam de vitórias e há os que, como os abutres, se alimentam da carniça dos derrotados. Nada fazem, nada produzem, vivem do brilho ou, com mais frequencia, de momentos difíceis de suas “presas”. No universo do futebol conhecemos muitas pessoas com “comportamento de abutre”. Por vezes se aproveitam de um microfone forte, de uma carreira de “jogador” (não dá para chamarmos de “atleta” alguém com comportamentos no mínimo questionáveis fora dos gramados) sem muito brilho, sempre a sombra de outros mais talentosos, para destilar suas frustrações. Aproveitam uma derrota, uma BATALHA perdida, para ficarem a espreita, aguardando a derrota na guerra, para alimentarem seus egos, como os abutres se alimentam de carniça. Não conseguiram nas Olimpíadas do Rio, mas ficaram ali, aguardando a primeira oportunidade, para trazer seu mau agouro. Mas lembrem-se: Perdemos uma batalha, não a guerra. A guerra de meu filho ele “pratica” desde muito jovem, sempre praticando o bom combate, sempre escapando dos abutres, sempre renascendo ainda mais forte !! E, principalmente, respeitando a todos, até mesmo os abutres… Perdemos uma batalha, quanto a guerra, veremos, porque ela durará enquanto ele estiver nos gramados. E tenham certeza… como uma fênix ele renascerá, preparado para quantos combates vierem pela frente! Quanto a você, abutre, ficará com fome. E restará engolir suas palavras, tão podres quanto a carniça. . @neymarjr @rafaella @jotaamancio @davilucca @nadine.goncalves

Uma publicação compartilhada por Neymar Pai (@neymarpai_) em

Participe da conversa!
0