Após superar na primeira fase duas adversárias, depois vencer outras nove concorrentes, Pamella Pyeerini, 26 anos, foi escolhida a musa do Paranaense 2017. (veja fotos no fim do texto)

O concurso é informal, realizado 100% na internet (sem a chancela oficial da Federação), mas movimentou as torcidas dos clubes pelas redes sociais.

Reprodução Facebook

Pamella e suas fotos nas redes sociais: flagra no Couto e torcida declarada.

A modelo e promotora de eventos, nascida em Rio Negrinho, Santa Catarina (13 anos morando em Curitiba), representou o Coritiba na disputa.

Para levar a faixa e ganhar um ensaio fotográfico (não teve prêmio em dinheiro), a loira precisou basicamente ganhar quatro quesitos do regulamento: mais curtidas no Facebook e visualizações (cliques na foto), no Instagram (mais curtidas) e também responder um questionário com 10 perguntas relacionadas ao futebol e seu clube.

A vitória então foi fruto não só dos olhos verdes, mas também da comprovação que era de fato uma legítima coxa-branca.

Pamella teve mais 128 mil cliques na sua foto na página oficial do “Musa do Paranaense 2017”, quase o triplo da segunda colocada. Depois do resultado, a imagem dela com o anúncio de vencedora, rendeu 50 mil cliques a mais.

“Descobri o concurso nas redes sociais e decidi arriscar. Muitas meninas não tiveram apoio das torcidas, mas não foi o meu caso. Tive uma grata surpresa, com ajuda de várias fanpages ligadas ao Coritiba, inclusive da [torcida organizada] Império Alviverde”, festeja. Conquistar fãs do seu time foi decisivo. A candidata do Paraná Clube, por exemplo, chegou a desistir da disputa, pois foi hostilizada por tricolores.

A vencedora é sócia do Alviverde e frequenta o Couto Pereira. “Por causa do meu trabalho,  basicamente sempre ser nos finais de semana, não consigo ir em todas as partidas, mas vou com regularidade, conta ela.

Em relação ao time, a musa fala com autoridade. “Apesar dos 5 a 0 sobre o Cascavel, tenho os pés no chão. Ainda não senti firmeza”, avalia a torcedora, admiradora do futebol de Alex e fã (“pela história”) de Dirceu Krüger. “Do time atual, minha maior simpatia é pelo Kleber”.

A paixão pelo Coxa veio do pai. “Amor de geração em geração. Tenho um tio que até foi jogador das categorias de base do clube”, conta.

De acordo com a organização da disputa de beldades, a entrega oficial da faixa pode ocorrer durante a partida de volta contra o Cascavel. Existe uma negociação com a diretoria alviverde para prestar esta homenagem.

Fotos de Antônio More/Gazeta do Povo

 

 

 

Participe da conversa!
0