A atuação de Bill, neste domingo, no Couto Pereira, foi emblemática. O centroavante está longe de ser um primor de técnica ou habilidade. Também fica distante do que a torcida alviverde sonha para a camisa 9 do clube. Mas não é essa a questão.

Mesmo perdendo gols — ele desperdiçou uma grande oportunidade de seu time definir a partida contra o Operário já no primeiro tempo –, demonstrou vontade desde o primeiro minuto de jogo.

Desempenhou ainda, assim o fez desde que virou titular, importante marcação na saída de bola adversária. Sua dedicação foi recompensada com o gol que garantiu a nona vitória consecutiva do Coxa. De apenas reserva “incontestável” do lesionado Leonardo, se encaixou como o pivô da equipe de Marcelo Oliveira. É um finalizador, nada mais do que isso. Mas, à medida que realize seu trabalho (já tem sete gols), é uma solução caseira para agradar à torcida.

Participe da conversa!
0