Pela matemática, ainda dá. Restando dez jogos, ou 30 pontos, o Atlético precisa vencer as partidas que fará em casa (cinco) e conseguir mais uma vitória longe de Curitiba. Com 45 pontos, há chance de escapar da Segunda Divisão. O problema é que, há tempos, o Furacão mostra que não tem bola para mudar de vida.

Basta dizer que o Rubro-Negro não ganha de nenhum time na mesma situação que ele. Conseguiu, no máximo, dois empates na Baixada. Perdeu todas as demais partidas, sendo duas para Bahia e Atlético-MG. Não há sinal maior de fraqueza.

O que fazer? Sinceramente, não sei. Trocar de técnico, a essa altura da competição, não adianta. Sem contar que o trabalho de Antônio Lopes tem sido razoável. Além do mais, não há nenhum milagreiro no mercado.

Procurando no elenco atleticano, já foi tentado de tudo. Até os atacantes Nieto e Guerrón foram vistos como solução. E Paulo Baier, talvez a última esperança, não tem fôlego para ajudar. Talvez o menino Pablo. Sempre que entrou, ele mostrou qualidade.

Participe da conversa!
0