Antonio Costa/ Gazeta do Povo

Passagem interessante contada por Velloso, no BandSports, e reproduzida no blog do Cosme Rímoli. Pelo jeito, a troca de comando no Paraná azedou o relacionamento entre Velloso e Zetti.

“Eu havia deixado tudo certo com o presidente do Paraná, Aurival Corrêa. Iríamos fazer uma reunião para tratar da reformulação do elenco para a Série B. Iríamos trocar alguns jogadores que não corresponderam. Deixamos tudo fechado.

Até que na segunda-feira à noite, ele me disse que havia ocorrido mudanças e iria trabalhar com outro treinador. O que aconteceu é que o clube precisava de dinheiro e dois empresários iriam investir e queriam o técnico da confiança deles.

O escolhido foi o Zetti.

Eu não queria, mas vou contar uma passagem. Eu era goleiro do Palmeiras, meu contrato estava para acabar. O professor Valdir de Moraes, que estava trabalhando no São Paulo, veio me procurar. Me convidou para jogar lá.

O goleiro do São Paulo era o Zetti. Estava tudo certo para eu trocar de clube. Quando, por acaso, eu encontrei o Zetti no trânsito.

Começamos a conversar e ele me disse que não estava sendo valorizado pelo São Paulo. Que estava com dificuldade para renovar. Ou seja, o clube não iria renovar com ele para me contratar.

Quando percebi isso, não levei o que estava acontecendo adiante. Fiquei no Palmeiras.

E agora acontece isso comigo no Paraná. Justo para assumir o Zetti…

Eu não sabia de nada, muito menos que ele seria o técnico. Foi a primeira vez que fui demitido na minha vida. Já entendi que para trabalhar como treinador eu vou ter de mudar. E principalmente estar preparado para coisas que eu nem sonhava. E também não vou acreditar na palavra das pessoas.”

Obrigado ao Guilherme Voitch pela dica.

Siga o Arquibancada Virtual no Twitter.

Participe da conversa!
0