Coritiba, Atlético e Paraná estão com os elencos praticamente fechados para o Paranaense. No Coxa, só um grande negócio; no Furacão, o atacante que pode ser Weldon; no Tricolor, a prateleira está cheia.

Assim, já é possível esboçar o time para começar o ano. Vou dar meu palpite aqui, arriscar uma escalação no escuro – até porque ninguém começou a treinar com bola ainda. Nos comentários, vocês dizem o que acharam do time, sugerem suas escalações ou apontam se falta mais algum reforço.

Coritiba
Vanderlei; Pereira, Rodrigo Mancha e Nenê; Pedro Ken, Leandro Donizete, Carlinhos Paraíba, Marlos e Vicente; Keirrison e Marcos Aurélio.

A base é a do ano passado. A zaga ganha experiência com a chegada de Pereira e Mancha dá a opção de uma variação para uma linha de quatro defensores. Pedro Ken não deve jogar já de início, mas, até pela preferência histórica do Ivo, tem tudo para voltar a jogar aberto pela direita. Nessa formação, Paraíba jogaria na posição da discórdia, podendo criar, mas também tendo que marcar. No ataque, muita velocidade com Keirrison e Marcos Aurélio.

Atlético
Galatto; Rhodolfo, Antonio Carlos e Chico; Alberto, Valencia, Zé Antônio, Ferreira e Netinho; Lima e Rafael Moura.

É quase o mesmo time que terminou 2008 – o que não é nada bom. Zé Antônio pode voltar a jogar na ala-direita, o que abriria espaço para uma aposta no meio, seja o garoto Renan ou Jairo, que finalmente terá chance no Furacão. No ataque, a cadência de Lima com o faro de gol de Rafael Moura, municiados pela movimentação de Ferreira. Na minha opinião, precisava de um volante de mais peso e alguém mais confiável na ala-direita.

Paraná
Ney; Alex, Élton, Jonathas e Edu Silva; Edimar, Hernâni, Kléber e Lenílson; Wando e Peterson.

Como foi o que mais contratou, o Paraná é o mais difícil de ser esboçado. As opções da defesa não me passam muita confiança. No meio, a preparação de jogadas deve girar em torno de Hernâni e Lenílson (que precisa emagrecer). No ataque, a aposta maior é Peterson, que vem bem credenciado do interior de São Paulo. Para se contrapor à sua juventude, a experiência de Wando.

Participe da conversa!
0