Albari Rosa/Gazeta do Povo

Reprodução da página dupla destinada ao jogo entre San Lorenzo e Atlético no Olé.

Buenos Aires
Fernando Rudnick, enviado especial

Principal jornal esportivo da Argentina, o diário Olé foi duro nas críticas com o San Lorenzo após a derrota dessa quinta-feira (15), para o Atlético, no Estádio Nuevo Gasómetro. Segundo a análise do jornalista Hernando Maderna, o Ciclón perdeu para um time de segundo escalão no Brasil e complicou sua chance de classificação na Libertadores.

Zerados após duas rodadas, os argentinos agora veem o Furacão e a Universidad Católica, com quatro pontos, liderarem o grupo 4 (veja a classificação).

“Era quase uma obrigação passar por cima, ou ao menos superar, uma equipe de segunda ordem. Em frente não estava Flamengo, Palmeiras ou Atlético Mineiro”, escreveu o periódico.

VEJA memes da torcida do Furacão

Além do argentino Lucho, autor do único gol da partida, o Olé destacou também a atuação do zagueiro atleticano Thiago Heleno. Eleito o melhor em campo pela Conmebol, o defensor obteve nota 9 na avaliação do jornal.

LEIA TAMBÉM: a matemática para o Atlético se classificar

“Thiago Heleno tirou tudo. Literalmente tudo. Por cima, por baixo, saindo de costas ou fazendo falta. Fez uma partida de excelência. E o que passou por seu setor, encontrou as mãos de Weverton, outro destaque da noite”.

Alvo de uma chuva de críticas (da imprensa e das arquibancadas) por deixar o veterano e ídolo da torcida Romagnoli no banco, o técnico Diego Aguirre ainda acredita na recuperação dos Corvos. Mas admitiu que a dificuldade é enorme.

A ausência de Romagnoli explica o trocadilho da manchete na página dupla destinada ao jogo. Com a foto de Lucho fazendo o gesto de general, o Olé pergunta onde está Pipi, apelido da estrela do San Lorenzo.

“É um golpe duro. Complicou, mas faltam 12 pontos por jogar e temos de pensar em fazer 10. Não merecíamos perder”, disse o treinador.

Participe da conversa!
0