Ao término da transmissão de ontem, Carlos Eduardo Lino, o comentarista do Sportv, disse que o Paraná não tem time para ser rebaixado. Tive três reações separadas por milésimos: concordância, alívio e tristeza.

Concordância porque parece óbvio que este Paraná não é time para cair, vai fazer os pontos necessários para se segurar na B. Alívio pois em alguns momentos o Tricolor deu mostras de que iria seco para a Terceirona. E tristeza por ficar aliviado em ver o Paraná permanecer na Segunda Divisão. O Paraná está encolhendo e estamos nos acostumando a isso.

O pior é que não há perspectiva de melhora a médio prazo. Roberto Cavalo chegou hoje à tarde com discurso de bombeiro. Não há chance de acesso (enfim alguém dentro do clube admite), o objetivo é não cair e quem não honrar a camisa tricolor estará fora do elenco. Discurso pronto, tipico de quem está por aqui de passagem. Caberia no Duque de Caxias, no Campinense, no Fluminense, no Botafogo, no Sport e até no Khimki, lanterninha do Campeonato Russo, a caminho da Segundona, que deve ser disputada integralmente na Sibéria, para castigar os incompetentes.

Cavalo fala com a certeza de que terá vida curta no clube. Seu contrato é de três meses. É a média de sobrevivência de um treinador na Vila Capanema desde o início de 2007. Neste período, passaram pelo banco de reservas sem esquentar lugar Zetti, Pintado, Gílson Kleina, Lori Sandri, Saulo de Freitas, Paulo Bonamigo, Rogério Perrô, Paulo Comelli, Wágner Velloso, Zetti (de novo) e Sérgio Soares. Dez profissionais diferentes, 11 trocas de comando (contando com a de SS por RC).

Quando a Série B acabar, Cavalo provavelmente irá embora. Como também irá embora toda a parte boa do time. Assim como Fabrício, Éder, Pimpão, Giuliano e Ricardinho, entre outros, partiram em dezembro de 2008, basta 2009 entrar no último mês para mais uma leva deixar a Vila.

Do grupo usado constantemente, só Wellington Silva e os meninos da base têm contrato extenso com o Tricolor. Para Adoniran, Adriano, Alex Afonso, Ney, Davi, Dedimar, Dirlei, Goiano, Gabriel, João Paulo, Zé Carlos, Luís Henrique Silveira, Luiz Henrique Camargo, Montoia, Wando, Rafinha, Rai, Freire e Élton (19 jogadores!), só há, segundo o BID, contrato até 30 de novembro ou 31 de dezembro.

Ou seja, em janeiro outro time novo será montado às pressas na Vila para o deficitário Paranaense. Depois outro será construído para evitar a degola Estadual. Então um terceiro iniciará a Série B. E um quarto e derradeiro servirá para, a essa altura de 2010, não acharmos tão ruim assim a ideia de ver o Paraná ficar na Série B para 2011.

Algo de podre no ar

Impressão trazida pelo repórter Angelo Binder, presente na Vila Capanema, com a qual eu concordo. Há algo de muito errado dentro do elenco paranista. Caso contrário, não haveria por que Roberto Cavalo falar em honrar a camisa. Será alguma reminiscência da briga Base-L.A. ou há algo pior nos vestiários da Vila?

Mais do mesmo

Ligação de leitor para a Redação, hoje pela manhã, com reclamação antiga: cambistas fazendo a festa nos arredores do Couto Pereira com ingressos para Coritiba x Corinthians, já escassos nas bilheterias. É aquela história que se repete em todos os grandes jogos, independentemente de estádio e cidade: o torcedor comum sofre horas na fila para conseguir um ingresso contado, enquanto os cambistas brotam com bilhetes nas mãos.

A imagem

O internauta Luciano pediu e eu atendo. Como fiquei fora da cidade durante o feriado, nem cheguei perto do blog para colocar a imagem da semana passada, que, claro, só poderia ser o golaço de bicicleta do Ariel. Reproduzo o lance abaixo e fica combinado a volta da sessão à sua normalidade nesta segunda-feira.

Léo Iran/ Diário da Manhã

Susto na Baixada

A diretoria do Atlético levou um susto em abril, quando foi renovar o acordo com a Caixa Econômica, que prevê a exposição da marca Timemania pela Arena. O contrato antigo, feito por intermédio de uma empresa terceirizada, mordia, a título de comissão, uma fatia considerável do valor pago pela CEF. O acordo foi renovado, sem intermediários, o que garantiu mais uma bem-vinda e considerável pilha de notas de 100 reais aos cofres rubro-negros.

Camisa

Só para confirmar o lance do sorteio de camisas. Cada dia que eu não postar (e não avisar), pago com o sorteio de uma camisa de time de futebol. É uma maneira de eu me obrigar a manter o blog atualizado. Se eu fechar o mês com postagens diárias e ganhar um quadrinho de funcionário do mês aqui na firma, numa dessas também promovo o sorteio. Ok?

Participe da conversa!
0