Uma briga entre Lisca e integrantes da comissão técnica do Paraná causou a demissão do treinador, anunciada neste sábado (2) pelo clube. A informação foi confirmada pelo próprio Lisca, em conversas com torcedores em grupos do WhatsApp.

No aplicativo de troca de mensagens, um paranista questiona Lisca sobre a briga e um suposto pedido de desculpas do treinador depois do fato, o que não teria sido aceito pela diretoria. O agora ex-comandante tricolor confirma a discussão, mas nega agressão física.

“Inventaram que eu agredi o auxiliar, mas não é verdade. Foi uma discussão forte com o preparador físico e o auxiliar”, afirma.

“Fui demitido, tentei reverter de todo jeito, mas eles não quiseram”, disse o técnico em outra conversa.

A demissão pegou os paranistas de surpresa horas antes do jogo único da semifinal da Primeira Liga, contra o Atlético-MG. O treinador caiu rapidamente nas graças da torcida e acumulava bom desempenho no time da Vila Capanema, quinto colocado na Série B a apenas três pontos do G4.

Filme repetido

Em maio, às vésperas do início da Série B, o Paraná já havia anunciado de forma surpreendente a saída do técnico Wagner Lopes. Nesse caso, porém, a mudança foi motivada por uma proposta do futebol asiático recebida pelo treinador. Cristian de Souza foi escolhido como substituto, mas o trabalho não rendeu o esperado, o que causou sua demissão para a posterior contratação de Lisca, no meio de julho.

 

Participe da conversa!
0