O Athletico não conseguiu fazer uma pré-temporada adequada para colocar o time principal em forma. Por causa dos decretos estadual e municipal para conter a Covid-19 e da escolha do clube em colocar o time de aspirantes nas duas partidas que fez pelo Estadual, o Furacão corre o risco de estrear sem ter feito sequer algum amistoso.

O primeiro jogo da equipe titular é no próximo dia 20 de abril, terça-feira, contra o Aucas, em Quito, no Equador, a 6.200 quilômetros de Curitiba. Outra preocupação é o surto de Covid-19 que o Aucas registrou.

A última vez que o time principal entrou em campo foi na última rodada do Brasileirão, dia 25 de fevereiro. Ao todo, serão 54 dias sem entrar em campo. Até lá, ainda não há nenhum amistoso marcado e pela proximidade do confronto a logística de viagem dificulta ainda mais.

O Athletico tentou marcar um amistoso contra o São Caetano, mas como o clube paulista teve jogos marcados no Paulistão, inviabilizou a viagem. Desta forma, a equipe comandada por António Oliveira realizou treino coletivo no CT do Caju no último final de semana por falta de adversários. Anteriormente, o elenco viajou para Viamão para poder treinar, já que o centro de treinamentos estava interditado.

Por isso mesmo, o gestor Paulo Autuori já anunciou que o time principal vai fazer duas partidas no Estadual. Porém, a Federação Paranaense está com dificuldade de marcar jogos nas principais cidades do estado por causa da pandemia. O aspirante do Rubro-Negro fez apenas dois jogos no torneio, menos do que todos os participantes, exceto o Paraná Clube.

A falta de ritmo no início da temporada já causou problemas no Athletico em outras temporadas. Em 2018, por exemplo, enquanto o time de aspirantes voava no Paranaense, o time principal comandado por Fernando Diniz sofreu nas primeiras fases da Copa do Brasil. Naquela temporada, o Athletico fez apenas quatro jogos nos primeiros três meses do ano.

Participe da conversa!
0