O adiamento de jogos e o cenário de indefinição têm deixado o Campeonato Paranaense com a tabela desfigurada. Após 35 dias da estreia, o Athletico voltou a campo e realizou apenas o segundo jogo pelo estadual neste domingo (04) - perdeu de virada para o FC Cascavel, por 2 a 1, no Olímpico Regional.

O "hiato" tem dificultado a preparação do time de aspirantes, na avaliação do técnico Bruno Lazaroni, que comandou a primeira partida à frente do Furacão.

"Acaba influenciando diretamente no rendimento, na parte física, e na sequência de jogos. Uma equipe tão jovem, a grande maioria dos atletas com idade sub-20 ou recém-saídos, acaba comprometendo de maneira geral. Mas temos que lidar com essa dificuldade e encontrar soluções para isso", disse em entrevista coletiva.

O Athletico ainda não tem outras partidas marcadas pela Federação pelo Campeonato Paranaense. Antes do jogo contra a Serpente Aurinegra, a equipe rubro-negra (elencos principal e aspirantes) treinou por nove dias em Viamão, no Rio Grande do Sul, em razão da proibição dos treinamentos no CT do Caju por decreto municipal contra Covid-19.

Enquanto ainda não sabe quando voltará a campo pelo estadual, a diretoria definiu que o time principal, comandado pelo técnico António Oliveira, vai disputar dois jogos do Paranaeanse como preparação para a Copa Sul-Americana. Além do torneio continental, o Rubro-Negro também joga a Copa do Brasil, onde entra na terceira fase - programada para o início de junho, e o Brasileirão, que começa em 30 de maio.

Técnico ressalta setor defensivo, mas cobra melhora no ataque

Lazaroni analisou o desempenho do Furacão na derrota de virada para o FC Cascavel. O time saiu na frente do placar, com gol de Bissoli, de pênalti, mas cedeu o empate ainda no primeiro tempo. A virada no placar veio nos acréscimos.

"A gente evoluiu do primeiro jogo da competição contra o Cianorte, mas precisa evoluir mais, principalmente no setor ofensivo. Teve uma evolução na fase defensiva, em termos de organização e compactação, mas só com o dia a dia dos treinamentos, jogos e a sequência para fazer a gente evoluir nesse sentido".

Tabela: confira a classificação do Paranaense

O técnico ressaltou que o Furacão foi pouco agressivo jogando fora de casa e cobrou melhora no setor ofensivo.

"A fase ofensiva a gente precisa evoluir bastante. Foram poucas finalizações, fomos poucos agressivos, e acabou que muitos erros individuais comprometeram o rendimento coletivo. É um ponto a melhorar. Evoluímos na parte defensiva".

Participe da conversa!
0