O volante Gustavo Braga, do Athletico, estava na área da tragédia em Capitólio, a 293 km de Belo Horizonte, neste sábado (9), quando parte de um cânion desabou e matou ao menos dez pessoas que estavam em embarcações.

Gustavo, de 19 anos, estava no local com familiares e amigos e escapou do acidente. Ele chegou a postar imagens antes da tragédia em sua rede social.

“Quando aconteceu estávamos saindo e só deu para escutar mesmo. Graças a Deus… Foi coisa assim, de cinco minutos”

Gustavo, em contato com o G1

Neste domingo (9), o jogador do sub-20 do Rubro-Negro fez uma postagem de agradecimento. “Obrigado a todos pelas mensagens… estamos todos muito bem graças a Deus”.

Gustavo também repostou uma publicação (veja abaixo) de sua mãe, Kelly, que deu alguns detalhes do ocorrido em Minas Gerais.

"Estávamos minutos antes do acidente acontecer. Depois fomos para outro lugar, onde não havia sinal de internet. Grande foi o livramento! Sem palavras, somente gratidão".

Nascido em Araçatuba, no interior de São Paulo, o jogador está no Athletico desde os 14 anos e tem contrato com o clube até o final de 2024.

O acidente

De acordo com o Corpo de Bombeiros, houve um deslocamento de pedra, cuja causa precisa ser averiguada, atingindo diretamente quatro embarcações. Segundo o delegado Mateus Consansine, titular da 5.ª Delegacia de Polícia Civil Regional de Passos, as mortes ocorreram na barca diretamente atingida pelas pedras.

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado de Minas Gerais (CBMMG) confirmou que são dez mortos e 32 feridos no desastre até agora. O corpo da décima vítima foi encontrado neste domingo (9).

Segundo informações do governo de Minas Gerais divulgadas hoje, as buscas "foram interrompidas apenas com o trabalho dos mergulhadores, por segurança, devido à baixa visibilidade na noite de sábado, mas a ação foi retomada nas primeiras horas deste domingo".

Conforme últimas atualizações do Corpo de Bombeiros de Minas Gerais, as operações foram retomadas às 5 horas da manhã. Ao todo, 50 militares, entre bombeiros militares e militares da Marinha do Brasil (MB), e 11 mergulhadores, especialistas nesse tipo de operação, participam dos trabalhos.

"Quatro lanchas e três motos aquáticas da MB e do CBMMG foram lançadas no local de busca já delimitado, além do apoio de sete viaturas", disse, em nota.

Participe da conversa!
0