O diretor técnico do Athletico, Paulo Autuori, se pronunciou publicamente contra a arbitragem após lances polêmicos contra o clube nas duas últimas rodadas do Brasileirão.

Em um vídeo postado pelo próprio Furacão nas redes sociais, o dirigente cobrou mais transparência dos árbitros nas decisões e questionou as decisões em campo.

"Nos achamos bem prejudicados nos dois últimos jogos. Fica evidente, não tem qualquer justificativa. Me parece que a interpretação é uma grande bengala da arbitragem. Todos os profissionais são criticados, julgados, têm que dar explicações e a arbitragem não passa absolutamente nada", afirmou Autuori.

Os lances questionados são a entrada do lateral-esquerdo Reinaldo, do São Paulo, em cima do atacante Renato Kayzer, no empate em 0 a 0 no Morumbi, que gerou uma grave lesão no jogador atleticano, e o pênalti marcado para o Corinthians, após a bola bater no braço de apoio do lateral-direito Marcinho. No vídeo, Paulo Autuori destaca que uma jogada semelhante aconteceu em Internacional x Santos e nada foi marcado.

O dirigente também questionou as mudanças em relação ao uso do VAR, que no caso do Athletico, não foram acionados para expulsar o atleta são-paulino e nem anulou o pênalti na Neo-Química Arena.

"O que causa indignação aos profissionais do futebol é aquilo que se torna comum no futebol brasileiro, as mudanças de regra em relação a muitas coisas e quero enfatizar a arbitragem, saindo o (Leonardo) Gaciba e entrando o Alício (Pena Júnior) (na presidência da comissão de arbitragem), aquilo que valia, que era o VAR, parece que já não está valendo mais. Isto tudo gera uma grande desconfiança", disparou ele.

"A partir da entrada do Alício colocam a ideia de que houve mudanças de que o VAR não vai interferir tanto. Então não sei qual o motivo da criação do VAR, a essência era trazer mais transparência e justiça. Nos nossos dois últimos jogos, situações altamente polêmicas contra nossos adversários e que não foram nem revisadas", completou Autuori.

Confira o vídeo completo com as declarações de Paulo Autuori:

Participe da conversa!
0