Parte do evento que tornou-se a decisão da Copa Sul-Americana, em jogo único, a Embajada del Hincha ("embaixada do torcedor", na tradução para o português) convive com a pouca adesão do público desde que foi inaugurada, na última quarta-feira (18). Idealizado pela Conmebol, o espaço está localizado ao lado do Rio da Prata, próximo do Farol de Punta Carretas, erguido em 1876, em Montevidéu.

A expectativa da organização é de que o fluxo de público da embaixada cresça quanto mais próximo esteja da disputa do confronto entre Athletico e Red Bull Bragantino, neste sábado (20), às 17 horas, no Estádio Centenário. No entanto, mesmo o jogo deve ser disputado com pequena presença dos torcedores. São esperadas cerca de 10 mil pessoas.

Ao longo de toda quinta-feira (18), e até o início da tarde desta sexta-feira (19), mesmo com a farta programação, o que se viu foram vazios no largo espaço que serve para a organização de concertos na capital uruguaia. Quando a reportagem visitou o local, por volta de meio-dia de sexta, haviam aproximadamente 20 torcedores presentes, a maioria de vermelho e preto.

A explicação, de uma forma geral, é o alto custo para participar da decisão. O ingresso mais barato, disponível somente para os torcedores de Athletico e Red Bull Bragantino, sai por US$ 100 (cerca de R$ 550). Valor elevado que restringiu o acesso aos brasileiros - considerando ainda gastos com viagem e testes de Covid-19 - e afugentou os uruguaios. A embaixada está aberta a todos.

UmDois por R$4,90? Só clicando nesta oferta você leva: Álbum Histórico e, se o Furacão levar a Sula, pôster do tamanho de uma TV 24 polegadas + brinde surpresa!

Casados, Andréia de Oliveira, engenheira química, e Alexandre de Oliveira, corretor de imóveis, encararam a viagem vindos de Curitiba com o filho do casal, Alexandre Filho. "Meu filho mesmo falou, que é uma pena que os ingressos não foram mais baratos, mas é uma política que a gente não entende. E ainda a pandemia, que dificultou tudo. Ver essa beleza mas com tão pouca gente. Mas, vamos lá, que o Furacão seja campeão", diz o corretor.

Andréia e Alexandre. André Pugliesi/UmDois Esportes
Andréia e Alexandre. André Pugliesi/UmDois Esportes

Na embaixada, a Conmebol oferece a oportunidade de treinar a pontaria com a bola, testar a impulsão no cabeceio, entre outras atividades. Além de uma extensa programação de apresentações musicais, entrevistas e, como ponto alto, o jogo das estrelas num mini-estádio de campo sintético que irá reunir ex-jogadores, entre eles o ex-atleticano Lucho González.

André Pugliesi/UmDois Esportes
André Pugliesi/UmDois Esportes

Outro entre os atleticanos presentes, Paulo Vicente Roberto, advogado, crê que o envolvimento da cidade e dos uruguaios tende a crescer mais próximo da final no Centenário: "Os torcedores estão chegando ainda, creio que vamos passar uma ótima impressão. E apesar de não ser num número muito grande, a torcida atleticana vai mostrar o seu valor, sempre aguerrida e participativa".

Por causa da baixa adesão do público, a Conmebol decidiu mudar o posicionamento das torcidas para a partida que vale a taça de 2021. Antes indicadas para os setores atrás dos gols, nas tribunas Colombes e Amsterdã, atleticanos e torcedores do Red Bull Bragantino ficarão na arquibancada de frente para as câmeras de TV. Ou seja, a intenção foi diminuir o impacto, na transmissão, da pouca presença dos torcedores.

Já para o confronto final da Libertadores, no próximo sábado (27), o Centenário deve estar lotado para assistir Palmeiras e Flamengo. Previsão que faz crescer, também, a expectativa da organização para a presença de público nos eventos relacionados.

Participe da conversa!
0