Athletico, Coritiba e outros 24 clubes, das Séries A e B do futebol brasileiro, divulgaram uma nota oficial nesta terça-feira (17) com algumas condições para assinarem a participação na Liga de Futebol Profissional Brasileiro (Libra).

Na nota, o grupo definiu quatro condições fundamentais como pontos de partida para a criação do novo campeonato. A primeira condição é a participação de todos 40 clubes das Séries A e B para a construção de um produto forte.

O segundo ponto fala sobre a distribuição correta e equilibrada de receitas. Os clubes, inclusive, se reuniram na última segunda-feira (16) no Rio de Janeiro para definirem, principalmente, uma contraproposta em relação à divisão da renda dos direitos de transmissão.

A terceira e a quarta condições são em relação a um campeonato com normas e pontos claros e objetivos, com padrão internacional, para se evitar conflitos futuros e perda de valor para o produto.

Veja a nota completa dos clubes

Os Clubes signatários se reuniram na manhã de segunda-feira (16) e reafirmaram seu compromisso em trabalhar na criação da Liga de futebol profissional no Brasil, com o objetivo de transformá-la em uma das 3 maiores Ligas do mundo.

No entendimento destes clubes, 4 (quatro) princípios são fundamentais como pontos de partida da fundação da Liga:

1. A Liga deve ser formada pelos 40 (quarenta) clubes que compõem atualmente as Séries A e B do Campeonato Brasileiro, permitindo a construção de um produto forte e que a comercialização coletiva maximize seu potencial econômico;

2. A divisão das receitas coletivas deve se dar de forma objetiva, meritocrática e equilibrada, de forma que, respeitando as peculiaridades dos clubes, incentive os comportamentos corretos e não perenize discrepâncias decorrentes de contratos individuais negociados em contexto particular;

3. A Liga deve ser formada tendo o máximo de pontos definidos de forma clara e objetiva, a fim de evitar potenciais conflitos futuros que gerem perda de valor para o produto.

4. As normas de compliance devem existir desde a formação e devem ser claras, objetivas, rígidas e de padrão internacional.

Dito de forma simples, a Liga deve criar as condições para maximizar o tamanho da receita total e ser compartilhada de forma justa.

Os clubes signatários definiram que estarão representados por consultores especializados que deverão atuar para negociar as questões econômicas e comerciais com o interlocutor/representante do grupo de clubes que anunciou uma união sob o nome de LIBRA.

O objetivo dessa negociação entre os clubes é a criação da Liga com os 40 participantes das Séries A e B a partir de parâmetros técnicos e objetivos. As empresas nomeadas seguirão as orientações de uma comissão formada pelos Presidentes de América MG, Atletico MG, Fluminense, Fortaleza, Internacional e a ANCF – Associação Nacional de Clubes de Futebol.

América Futebol Clube
Associação Chapecoense de Futebol
Atlético Clube Goianiense
Avaí Futebol Clube
Brusque Futebol Clube
Ceará Sporting Club
Centro Sportivo Alagoano
Club Athletico Paranaense
Clube Atlético Mineiro
Clube de Regatas Brasil
Clube Náutico Capibaribe
Coritiba Foot Ball Club
Criciúma Esporte Clube
Cuiabá Esporte Clube
Esporte Clube Juventude
Fluminense Football Club
Fortaleza Esporte Clube
Goiás Esporte Clube
Grêmio Novorizontino
Londrina Esporte Clube
Operário Ferroviário Esporte Clube
Sampaio Côrrea Futebol
Clube Sport Club do Recife
Sport Club Internacional
Tombense Futebol Clube
Vila Nova Futebol Clube

Participe da conversa!
0