O técnico Paulo Autuori vive uma inconstância no comando do Athletico. Anunciado pelo clube no final de outubro, o treinador acumula, em 12 jogos, quatro vitórias, um empate e sete derrotas, um aproveitamento de apenas 36,1%. No entanto, mais do que os resultados em si, o efeito "gangorra" que o Furacão teve nesse período chama a atenção.

Autuori assumiu o Athletico após a derrota por 3 a 2 para o Peñarol, do Uruguai, pela Libertadores, quando já estava no banco, mas o time foi comandado por Eduardo Barros, que foi demitido logo depois. A estreia veio na derrota por 2 a 1 para o Grêmio, na Arena, pelo Brasileirão. Depois disso, mais três derrotas - 1 a 0 e 3 a 2 para o Flamengo, ambas pela Copa do Brasil, e 1 a 0 para o Sport, pelo Campeonato Brasileiro.

Com os resultados, o Rubro-Negro chegou a cair para o 19º lugar na tabela. Só que, em seguida, viveu uma ótima fase, emplacando quatro vitórias consecutivas - 2 a 1 no Fortaleza, 1 a 0 no Goiás, 2 a 0 no Atlético-MG e 1 a 0 no Santos. Resultados que tiraram o Athletico, não só da zona de rebaixamento, como o colocaram na metade de cima da tabela, chegando a ocupar o nono lugar e ficando poucos pontos atrás do G6.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

O embalo ainda foi completado com o empate em 1 a 1 com o River Plate, pela Libertadores, em uma partida na qual a equipe teve uma boa atuação e deixou a vitória escapar nos últimos minutos. Só que parou por aí.

Nova sequência negativa

Nos últimos jogos, à exceção do duelo de volta contra o River, quando perdeu por 1 a 0, na Argentina, o Furacão caiu de rendimento outra vez e ainda foi derrotado por 3 a 0 pelo Palmeiras e 3 a 1 pelo Fluminense.

Voltou a oscilar e, atualmente, ocupa o 12º lugar na tabela, com 28 pontos, apenas quatro à frente do Vasco, que é quem abre a zona da degola, e dez atrás do Internacional, que fecha o G6.

É justo, no entanto, ressaltar que nestas últimas partidas a equipe sofreu com vários desfalques, principalmente por conta da Covid-19, chegando a ter que atuar com o terceiro goleiro. Ainda assim, em meio a tantos problemas, teve boas atuações.

No fechamento de 2020, o Rubro-Negro terá pela frente o Atlético-MG e o Vasco, em casa, e o Red Bull Bragantino, fora. Dois confrontos diretos para fugir da ameaça de queda e também provar que pode sair desta gangorra de resultado e manter um equilíbrio pra a reta final do Brasileirão.

Participe da conversa!
0