A derrota para o Fluminense por 3 a 1, neste sábado (5), voltou a ligar o sinal de alerta do Athletico no Brasileirão. Apesar do discurso de buscar objetivos maiores após a eliminação para o River Plate, com duas derrotas seguidas na disputa (Palmeiras e Fluminense), o time do técnico Paulo Autuori vê a proximidade para a zona de rebaixamento aumentar.

Para o treinador, faltou competitividade ao Rubro-Negro. "O início do jogo do time foi [de quem briga por vaga na Libertadores]. Começamos bem, mas perdemos um pouco de competitividade. Era um jogo que poderíamos gerir de outra forma. De positivo, foi muito pouco, apenas o início".

O Furacão abriu o placar com Léo Cittadini. Em seguida, Santos defendeu um pênalti cobrado por Nenê. O próprio Nenê empatou, posteriormente, e, mais tarde, Marcos Paulo marcou duas vezes.

Os próximos três jogos, contra Atlético-MG (casa), RB Bragantino (fora) e Vasco (casa) serão cruciais para definir a briga da equipe no campeonato, se ainda será possível com um retorno à Libertadores ou o Furacão terá de se contentar com a Sul-Americana ou, ainda, brigar para fugir da Segunda Divisão.

Autuori analisa expulsão e desgaste do Athletico

No Maracanã, após um bom início de partida, o Furacão deixou de jogar depois do seu gol. Com um a menos, com a expulsão de Thiago Helenoi, viu o Fluminense dominar as ações do jogo e virar o placar.

“A questão não é um jogador a menos e, sim, aquilo que tem acontecido com a sequência de jogos. Quando você perde um atleta, o esforço aumenta. Tínhamos vários jogadores voltando da Covid-19. São situações que pesaram”, analisou Autuori.

O jogo contra o Galo acontece no próximo sábado (12), na Arena da Baixada, às 17h, pela 25ª rodada do Brasileirão.

Participe da conversa!
0