O advogado Marcos Motta, que defende o Athletico no Caso Rony, deu detalhes do julgamento finalizado na última sexta-feira (19). De seu escritório no Rio de Janeiro, ele representou o clube na audiência que ocorreu na Corte Arbitral do Esporte (CAS), Lausanne, na Suíça.

No Instagram, ele mostrou uma foto do que chamou deWar Room (Sala de Guerra) e detalhou o julgamento. Segundo ele, foram 36 horas, com seis nacionalidades envolvidas, dois idiomas, sete testemunhas, quatro fusos horários e 4000 páginas de documentos.

"E lá se vão 20 anos nesse tribunal. E sigo inspirado como em 2001. E o pulso ainda pulsa. Mais vivo e altivo do que nunca", escreveu o advogado.

Motta, o mesmo que representou o Furacão no casos de doping de Thiago Heleno e Camacho, é um advogado conceituado, influente na Fifa, e que já defendeu Neymar, Gabriel Jesus e o surfista Gabriel Medina.

Não há prazo para a decisão ser divulgada. O caso envolve, além do jogador e do Athletico, o Albirex Niigata, do Japão, que cobra uma multa de 10 milhões de euros pelo não cumprimento de contrato por parte do atleta.

Na audiência, foram analisados recursos dos dois clubes. Na Fifa, o Albirex ganhou a causa, mas o Furacão recorreu para tentar encerrar a suspensão de registro de jogadores e também diminuir a multa de US$ 1,7 milhões por ter contratado Rony em 2018.