O CEO de Negócios do Athletico, Alexandre Mattos, cobrou a torcida após a confirmação da contratação do uruguaio Agustín Canobbio.

Na mesma publicação do anúncio do reforço no Instagram, Mattos escreveu um comentário reforçando o pedido para que os torcedores se associem para o clube bater a meta de 40 mil sócios ativos.

"Maior contratação, agora é chegarmos aos 40 mil sócios".

Alexandre Mattos, diretor do Athletico

Desde que a nova Arena da Baixada foi inaugurada, pós-Copa 2014, o presidente Mário Celso Petraglia pede que a torcida acabe com os planos de sócios disponíveis.

Em 2016, inclusive, o clube chegou a colocar faixas provocativas no estádio para chamar a torcida. A "Atleticano seja verdade, 40k já", foi uma frase que ficou marcada e é lembrada até hoje pelos torcedores.

Confira a tabela da Libertadores

No final do ano passado, antes da decisão da Copa do Brasil, o Furacão chegou a ter quase 37 mil associados, segundo apuração do UmDois Esportes. Hoje, o clube tem pouco mais de 30 mil sócios.

O próprio presidente Petraglia falou sobre o assunto na entrevista para a rádio Transamérica, na última terça-feira (29), e disse que o clube trabalha com novidades para os planos associativos. Uma das possibilidades é que cada smartcard possa abrigar dois CPFs.

Atualmente, o clube tem três planos. O mais barato custa R$ 90 e está esgotado. O plano intermediário custa R$ 150 por mês e tem assentos disponíveis. Já o Sócio Furacão VIP, setor mais caro da Arena da Baixada, custa R$ 350 mensais.

"O Athletico tem 200 mil CPFs cadastrados. O problema é a fidelização. O cara paga, enche o saco, aí para, volta quando o clube está numa boa, essa é a nossa cultura. Eu gostaria de ter 100 mil sócios. R$ 90 por mês, para ver uma média de três jogos por mês. R$ 30 para ver um jogo de um time competitivo, no melhor estádio do mundo", disse Petraglia para a Transamérica.

Participe da conversa!
0